EDP: Regras do Banco de Portugal não se aplicam ao seu caso

  • Lusa
  • 24 Agosto 2018

A EDP pode ser multada em até 10 milhões de euros se o Banco de Portugal decidir que é culpada de prestar serviços de pagamentos. No entanto, a EDP defende que o regime não se aplica.

A EDP considera que o regime dos serviços de pagamento não se aplica ao seu caso, após ser conhecido que o Banco de Portugal a pode multar até 10 milhões de euros por prestação de uma atividade reservada a instituições financeiras.

O relatório e contas da EDP, divulgado esta quinta-feira e noticiado pelo Expresso e pelo Público, refere que foi instaurado à EDP “um processo de contraordenação pelo Banco de Portugal (BdP), por alegado incumprimento com o Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras”.

Em causa, refere o documento, está o “exercício da atividade de prestação de serviços de pagamento (atividade essa legalmente reservada a instituições de crédito e entidades similares) e incumprimento de determinações do BdP”. A multa pode chegar a 10 milhões de euros, dividida entre as empresas EDP Soluções Comerciais e EDP S.A.

Numa reação enviada à Lusa, a EDP disse hoje que “colaborou ativamente com o Banco de Portugal para esclarecer os factos, considerando, no entanto, que o regime jurídico dos serviços de pagamento não se aplica ao caso em concreto”.

A empresa liderada por António Mexia acrescenta que “estão essencialmente em causa serviços complementares prestados pela EDP, no âmbito das normais relações comerciais estabelecidas com alguns dos seus clientes”, e que “aguarda serenamente pelo desenvolvimento do processo.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP: Regras do Banco de Portugal não se aplicam ao seu caso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião