Em Jackson Hole, Powell defende atual estratégia de aumento de juros da Fed

  • Marta Santos Silva
  • 24 Agosto 2018

No primeiro discurso no encontro de Jackson Hole enquanto presidente da Fed, Powell respondeu aos ataques de Trump à subida de juros afirmando que parece ser o melhor trajeto para proteger a economia.

Jerome Powell, o Presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), defendeu esta sexta-feira a estratégia que os economistas e banqueiros centrais norte-americanos têm adotado perante o crescimento económico do país. A subida gradual dos juros, afirmou no seu primeiro discurso enquanto Presidente da Fed no encontro anual de especialistas e decisores de política monetária em Jackson Hole, é a melhor opção para proteger o crescimento económico do país.

O discurso de Powell serviu em parte como uma resposta ao Presidente dos Estados Unidos Donald Trump, embora sem o mencionar. Trump criticara no princípio da semana a estratégia da Fed com o aumento de taxas de juro. “A Fed deveria ajudar-me”, disse à Reuters numa entrevista, acrescentando “não adorar” as subidas de juro.

Esta sexta, Powell reage com uma defesa acérrima da posição da Fed. O banco central, explicou, procura defender-se de dois riscos paralelos. A Fed “tem navegado entre os baixios do sobreaquecimento e um aperto prematuro na política monetária, com uma visão vaga de guias de navegação que estão a mudar”, afirmou, sublinhando assim a dificuldade de decidir quando aumentar as taxas de juro — nem cedo de mais, dificultando o crescimento económico, nem tarde de mais, permitindo um sobreaquecimento da economia.

Para evitar estes dois riscos, referiu na sua intervenção, a solução é avançar devagar. “Vejo o nosso caminho atual de aumentar gradualmente as taxas de juro como a nossa forma de levar ambos os riscos a sério”, acrescentou Jerome Powell, citado pelo Financial Times.

Após a divulgação, esta semana, das minutas da última reunião da Fed, os investidores ficaram ainda mais convencidos de que a Fed venha a realizar um novo aumento de taxas de juro em setembro. Antecipa-se que os banqueiros centrais realizem um aumento em setembro e um segundo em dezembro. As previsões para 2019, porém, ainda não são claras.

No seu discurso, Jerome Powell voltou a reforçar que um novo aumento surgirá em breve, ao afirmar: “Se o recente crescimento em rendimentos e emprego continuar, então é provável que venham a ser apropriados mais aumentos graduais na meta da taxa de juro federal”.

O encontro anual em Jackson Hole, nos Estados Unidos, junta especialistas em política monetária e economistas de todo o mundo para um simpósio sobre as políticas económicas e de mercado. Este é o primeiro encontro em que Jerome Powell participa enquanto Presidente da Fed, após ter substituído Janet Yellen.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Em Jackson Hole, Powell defende atual estratégia de aumento de juros da Fed

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião