Hoje nas notícias: CP, IRS e fim das penhoras

  • ECO
  • 3 Setembro 2018

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O dia fica marcado pelas notícias da CP, que assinou um protocolo para alugar quatro comboios à espanhola Renfe e estabeleceu como objetivo chegar às principais cidades espanholas. No campo político, duas novidades: o Bloco de Esquerda vai propor o fim do regime dos residentes não habituais já em 2019 e o PS vai propor que o Fisco e a Segurança Social deixem de penhorar a primeira habitação para pagar dívidas. Na banca, continuam as conversações para decidir o futuro de uma possível lista única de oposição a António Tomás Correia para a liderança do Montepio Geral – Associação Mutualista.

CP aposta no mercado ibérico

A CP assina, esta segunda-feira, em Madrid, um protocolo com a Renfe para alugar quatro comboios a diesel à operadora espanhola. A transportadora portuguesa pretende, assim, dar resposta à liberalização do transporte ferroviário de passageiros, que terá lugar a 1 de janeiro de 2019. O objetivo, segundo disse Carlos Gomes Nogueira, presidente da CP, numa conferência que decorreu em julho no Parlamento, é que os comboios da CP possam chegar em poucas horas até Madrid, Barcelona, Valência e Badajoz. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Oposição a Tomás Correia ainda admite lista única no Montepio

Os opositores de António Tomás Correia na Associação Mutualista Montepio Geral, que em 2015 formaram várias listas candidatas à liderança da instituição, vão reunir-se nas próximas semanas para definir como irão às próximas eleições. Fernando Ribeiro Mendes, atual administrador que entrou em diferendo com Tomás Correia, é, para já, o único que já avançou como candidato. Mas os candidatos que tinham sido opositores em 2015 ainda poderão vir a apoiá-lo para formar uma lista única de oposição. A decisão terá de ser tomada até à segunda semana de setembro, já que, depois disso, só resta um mês para a formalização e recolha das assinaturas necessárias para a oficialização de candidatos. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

PS vai propor fim das penhoras de casas

O PS vai apresentar uma proposta para impedir que as casas de primeira habitação sejam penhoradas como forma de pagamento de dívidas ao Fisco e à Segurança Social. A medida consta do projeto de lei de bases da habitação, apresentado este ano pela deputada Helena Roseta, e será proposto num projeto à parte, que deverá contar com o apoio do Bloco de Esquerda e do PCP. Leia a notícia completa no Correio da Manhã.

Bloco quer fim do regime dos residentes não habituais em 2019

O Bloco de Esquerda vai propor o fim do regime fiscal dos residentes não habituais já a partir de 2019, impedindo que mais cidadãos possam obter o estatuto para poderem pagar um IRS de 20% independentemente do rendimento que auferem, ou de 0% no caso de alguns pensionistas. A medida será apresentada juntamente com as propostas de alteração ao projeto do Orçamento do Estado para o próximo ano. Para já, não há sinais de que o PS venha a apoiar a proposta, ainda que haja socialistas que defendem uma revisão desta legislação. O Bloco quer, contudo, que o regime seja mesmo revogado. Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado).

Interior só atrai 25% dos grandes investimentos

Nos últimos dez anos, foram assinados e apoiados 443 grandes projetos de investimento negociados pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP). Contudo, só 117 (o equivalente a 26,4% do total) foram para o interior, enquanto quase 74% ficaram no litoral. Também no que diz respeito aos valores de investimento há uma disparidade negativa entre litoral e interior. Entre 2008 e o primeiro semestre deste ano, o investimento no interior totalizou 1,8 mil milhões de euros, enquanto no litoral se aproximou dos 4,9 mil milhões. Leia a notícia completa no Diário de Notícias.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: CP, IRS e fim das penhoras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião