Danske Bank terá participado em lavagem de dinheiro russo. Foram 30 mil milhões só num ano

  • ECO
  • 4 Setembro 2018

O maior banco privado dinamarquês terá sido usado pela Rússia para um esquema de lavagem de dinheiro durante nove anos. Só em 2013, terão sido branqueados 30 mil milhões de dólares.

O Danske Bank, maior banco privado dinamarquês, terá participado num esquema de branqueamento de capitais com origem na Rússia. O esquema terá sido operado através de uma pequena sucursal deste banco na Estónia, por onde terão passado 30 mil milhões de dólares (cerca de 26 mil milhões de euros) de dinheiro russo, durante apenas um ano. A notícia foi avançada, esta segunda-feira, pelo Financial Times (acesso pago).

As conclusões constam do relatório de uma investigação independente, encomendada pelo próprio Danske Bank à consultora Promontory Financial, que descobriu que cerca de 30 mil milhões de dólares provenientes de clientes não residentes na Estónia foram depositados nesta agência do Danske Bank em 2013, ano em que foram feitas perto de 80 mil transações. Esse terá sido o ano em que houve maior volume de transações, mas o esquema ter-se-á prolongado de 2007 a 2015.

A dúvida, agora, é que executivos do banco dinamarquês, e em que momentos, tinham conhecimento das transações que estavam a ser realizadas. “Levamos o assunto muito a sério, razão pela qual iniciámos investigações aprofundadas”, disse já o chairman do Danske Bank, Ole Andersen. “Estamos empenhados em conhecer toda a história e acredito que é do interesse de todos que se conclusões sejam tiradas com base em factos comprovados e não em peças de informação fragmentadas e retiradas de contexto”, acrescentou, citado pelo Financial Times.

Estes novos detalhes surgem depois de, recentemente, o banco ter sido acusado pelas autoridades dinamarquesas de não ter implementado medidas de combate ao branqueamento de capitais relativamente às operações na Estónia. As investigações ainda não estão concluídas, mas uma coisa já é certa: o esquema terá tomado proporções maiores do que se pensava.

Inicialmente, estimava-se que o montante de transações suspeitas feitas ao longo do período de nove anos ascendesse a 3,9 mil milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Danske Bank terá participado em lavagem de dinheiro russo. Foram 30 mil milhões só num ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião