Farfetch vai para a bolsa avaliada em quatro mil milhões de euros. Vale mais do que o BCP

Se alcançar o objetivo definido para a entrada em bolsa, a Farfetch ficará avaliada em quase quatro mil milhões de euros, mais do que vale, atualmente, o BCP.

A Farfetch prepara-se para entrar em bolsa e já definiu um intervalo de preços para as ações que pretende vender. Se alcançar o objetivo definido, a empresa criada pelo português José Neves entrará na bolsa de Nova Iorque avaliada em quatro mil milhões de euros, mais do que vale, atualmente, o BCP.

A empresa de moda de luxo pretende vender um total de 37,5 milhões de ações, que representam cerca de 11% do total de 285.280.580 ações da empresa. Cada um destes títulos será vendido por um valor que irá ficar entre os 15 e os 17 dólares.

Assumindo o ponto médio deste intervalo, de 16 dólares, a Farfetch ficará avaliada em 4,56 mil milhões de dólares (o equivalente a 3,92 mil milhões de euros) com a venda destas ações. No melhor dos cenários, em que todas as ações são vendidas por 17 dólares, a empresa ficará avaliada em 4,84 mil milhões de dólares (mais de 4,16 mil milhões de euros).

Se a Farfetch entrasse na bolsa de Lisboa, ficaria de imediato na liga das maiores cotadas, superando mesmo o BCP, que atualmente tem uma capitalização bolsista de 3,78 mil milhões de euros. Acima, só a Galp (12,9 mil milhões), EDP (12 mil milhões), Jerónimo Martins (7,8 mil milhões) e EDP Renováveis (7,2 mil milhões).

Farfetch pode valer mais de 4 mil milhões de euros

Capitalização bolsista das maiores cotadas de Lisboa e da Farfetch, assumindo um cenário em que todas as ações são vendidas ao preço máximo de 17 dólares. Valores em milhões de euros

A avaliação que a colocação em bolsa permite fazer da Farfetch está em linha com o que era antecipado pelo mercado, em torno dos cinco mil milhões de dólares. Atualmente, antes da entrada em bolsa, a empresa vale cerca de 1,5 mil milhões, depois de sucessivas rondas de financiamento.

A Farfetch estima que o encaixe líquido com esta operação ascenda a 446,5 milhões de dólares, “assumindo que as ações serão vendidas no ponto médio do intervalo de preços do IPO, de 16 dólares, mas também descontando os custos da admissão ao mercado”. Este encaixe resulta apenas da venda de uma parte das ações do IPO. Vai vender 30,06 milhões de títulos ordinários, enquanto os atuais acionistas da loja online moda de luxo vão alienar outras 7,45 milhões de ações.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Farfetch vai para a bolsa avaliada em quatro mil milhões de euros. Vale mais do que o BCP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião