CP não tem composições para cumprir horários em Cascais

  • ECO
  • 12 Setembro 2018

A CP-Comboios de Portugal não tem composições para manter os novos horários para o ano letivo em Portugal. Nos dois primeiros dias, no horário de ponta, foram mesmo suprimidos oito comboios.

A CP cancelou oito comboios da linha de Cascais só esta segunda e terça-feira, sendo incapaz de cumprir os seus próprios horários numa das linhas mais frequentadas do país por falta de material circulante, escreve esta quarta-feira o Diário de Notícias.

Entre as estações do Cais do Sodré e Oeiras, confirmou o Diário de Notícias / Dinheiro Vivo, foram cortados oito comboios durante a hora de ponta. Os novos horários para o regresso às aulas entraram em vigor este domingo mas ainda não foram cumpridos.

A comissão de trabalhadores da Infraestruturas de Portugal confirmou ao jornal que as supressões se devem a falta de composições, estando muitas atualmente imobilizadas.

O período de maior afluência aos comboios da linha de Cascais deveria estar a ser servido por dois comboios adicionais por hora, como pretendia o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques — o ministro garantira que os cortes realizados em agosto seriam temporários. No entanto, a linha continua com problemas já no princípio da época letiva.

A EMEF, que faz a manutenção de comboios, não tem tido recursos para cuidar das composições da Linha de Cascais, que funcionam com corrente elétrica inferior ao das restantes linhas em Portugal, e com corrente continua em vez de alternada. A Linha de Cascais é a única que funciona desta forma, pelo que requer material diferente no processo de reparações.

Segundo previsões da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento dos Sistemas Integrados de Transportes (Adfersit) até ao final do ano, mais de um quinto destes comboios ficará parado nas oficinas. Apesar destes constrangimentos não está prevista qualquer compra de material novo para a linha de Cascais, como afirmou a semana passada, o presidente da CP, Carlos Gomes Nogueira.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CP não tem composições para cumprir horários em Cascais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião