Airbnb trouxe para Portugal 1,4 milhões de hóspedes no verão

Entre junho e agosto, os alojamentos anunciados na plataforma receberam um número recorde de hóspedes. Lisboa, Porto e Lagos foram as cidades que mais hóspedes conquistaram.

Durante os meses de verão, as preferências dos utilizadores do Airbnb caíram sobre terras lusas, ultrapassando um milhão de hóspedes. Portugal continua a ser um dos destinos mais populares da Europa , diz a plataforma, que destaca ainda um recorde de 60 milhões de viajantes em todo o mundo.

Entre junho e agosto, Portugal recebeu quase 1,4 milhões de hóspedes nacionais e internacionais, através do Airbnb, mais 18% do que no mesmo período do ano passado, anunciou a plataforma em comunicado. Entre os viajantes de todo o mundo, a média por noite fixou-se nos 82 euros.

Lisboa, Porto e Lagos foram as cidades que mais hóspedes conquistaram, seguidos de Albufeira, Portimão, Faro, Ponta Delgada, Quarteira, Vila Nova de Gaia e Tavira. Relativamente a destinos-tendência, Moura (Beja), Vendas Novas (Évora), Paços de Ferreira, Leça do Balio e Canelas (Porto) foram as localidades com maior crescimento entre os viajantes que escolheram o nosso país este verão.

Para os portugueses, Portugal continua a ser o destino preferido, seguido de Espanha, Itália, França, Croácia, Reino Unido, Estados Unidos, Grécia, Alemanha e Holanda. “De facto, o número de portugueses que ficaram em alojamentos anunciados na Airbnb este verão aumentou 32%, prova de que mais e mais pessoas no país querem descobrir um destino como se fossem um habitante local”, diz Arnaldo Muñoz, Country Manager para Portugal da Airbnb Marketing Services.

A nível mundial, o número de hóspedes também bateu um recorde de 60 milhões. A noite com mais hóspedes registados foi a 11 de agosto, na qual 3,5 milhões de visitantes fizeram o check-in na plataforma.

Ao fim de uma década de existência, o Airbnb conta atualmente com cinco milhões de anúncios, espalhados por 81 mil cidades. Nestes dez anos, os anfitriões ganharam mais de 41 mil milhões de dólares (35,3 mil milhões de euros) e os hóspedes permaneceram nos espaços mais de 300 milhões de vezes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Airbnb trouxe para Portugal 1,4 milhões de hóspedes no verão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião