A tarde num minuto

Não teve tempo de ler as notícias esta tarde? Fizemos um best of das mais relevantes para que fique a par de tudo o que se passou, num minuto.

Com 50% de hipóteses a seu favor, Ivo Rosa é quem decide agora se a Operação Marquês segue ou não para julgamento. Carlos Tavares vai continuar como CEO e chairman do banco Montepio por mais quatro meses, tendo já obtido luz verde do Banco de Portugal para o efeito.

É oficial: Ivo Rosa é o magistrado que vai decidir a fase de instrução da Operação Marquês. O que significa que terá a decisão de dar seguimento ou não ao caso para a fase seguinte, a de julgamento. O juiz era a escolha mais esperada entre os arguidos deste megaprocesso, depois de Carlos Alexandre ter estado à frente da fase de inquérito, e por Ivo Rosa ser conhecido por dar algum “travão” às teses defendidas pelos procuradores do Ministério Público.

Carlos Tavares pediu ao Banco de Portugal para acumular as funções de presidente executivo e de não-executivo da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) por mais quatro meses além do inicialmente previsto e o regulador já deu essa autorização, isto depois de ter estado em cima da mesa o nome de Álvaro Nascimento para o cargo de chairman.

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu esta sexta-feira um “aumento salarial efetivo” na Função Pública e previu um “bom orçamento” para 2019, no final de um encontro com o presidente do Parlamento Europeu (PE), Antonio Tajani.

Para o contabilista da EDP, hoje em dia não é fácil perceber de que lado do balanço da EDP deve ser colocado António Mexia, se do ativo ou do passivo. Se durante anos o gestor era claramente um ativo, colocando a elétrica a dar lucros anuais acima dos mil milhões de euros, hoje não é claro que assim seja.

Vivemos cada vez mais anos, mas uns mais do que outros. De acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS), a esperança média de vida da população mundial era de 72 anos, com as mulheres a terem mais probabilidades de viverem mais tempo do que os homens. Em Portugal, a expectativa são 80,78 anos, mas há um país onde os habitantes têm boas possibilidades de viver até aos 84 anos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A tarde num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião