Fatura dos CMEC é “negativa” mas não ameaça rating da EDP, diz a Moody’s

A EDP vai registar uma provisão de 285 milhões com os CMEC. A Moody's diz que esta provisão vai afetar os resultados, sendo negativa para o crédito da elétrica. Mas o rating não está em risco.

A EDP reviu em baixa as suas previsões de resultados para este ano. Cortou-os em 200 a 300 milhões de euros, tendo em conta a provisão para as “alegadas sobrecompensações” nas rendas que lhe foram atribuídas, através dos CMEC. Há uma fatura de milhões de euros que, diz a Moody’s, é “negativa” para a qualidade do crédito da empresa liderada por António Mexia. Ainda assim, defende que o rating que lhe atribui não está em risco.

A elétrica foi notificada pela Direção Geral de Energia e Geologia de um despacho do secretário de Estado da Energia “que quantifica em 285 milhões a alegada sobrecompensação da EDP quanto ao cálculo do coeficiente de disponibilidade verificado nas centrais que operavam em regime de CMEC”. Esse é o valor que a EDP terá de devolver, tendo a provisão levado a empresa liderada por António Mexia a emitir um profit warning.

“Apesar de a EDP afirmar que ‘a decisão tem falta de fundamento legal, económico e técnico’, e que será necessário medidas para proteger os seus direitos, a empresa prevê registar provisões de 285 milhões de euros nas contas de 2018”, nota a Moody’s. Esta provisão é “negativa para a qualidade do crédito da EDP, tendo em conta que resulta na saída de capital” adicional, tendo em conta que a empresa vai manter os dividendos.

A agência de notação financeira salienta, no entanto, que os 285 milhões representam menos de 2% da dívida líquida da elétrica, de 15,5 mil milhões de euros. E que o rácio de cobertura da dívida pelas receitas baixa, mas mantém-se em 15,8%. “Tendo em conta a natureza não recorrente da provisão e do moderado impacto financeiro, esperamos que a EDP continue a apresentar um rácio de cobertura da dívida de dois dígitos, o que é consistente com o atual rating de Baa3“.

“No longo prazo, o rating da EDP deverá ser influenciado pelo o sucesso, ou falta dele, da OPA da China Three Gorges. Se for bem-sucedida, a OPA da CTG poderá ser positiva para o rating da EDP”, nota a Moody’s.

(Notícia atualizada às 17h18 com mais informação)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Fatura dos CMEC é “negativa” mas não ameaça rating da EDP, diz a Moody’s

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião