Abreu Advogados recebe Festival Santa Casa Alfama

Pelo segundo ano consecutivo, a Abreu Advogados apoiou uma das iniciativas culturais mais valiosas para preservar a tradição cultural do fado em Lisboa – o Santa Casa Alfama.

Pelo segundo ano consecutivo, a Abreu Advogados apoiou uma das iniciativas culturais mais valiosas para preservar a tradição cultural do fado em Lisboa – o Santa Casa Alfama – e aumentou a ligação com o público que teve oportunidade de esgotar o auditório em todos os concertos.

O envolvimento no Santa Casa Alfama 2018 integra-se na estratégia de apoio à cultura da Abreu e aproxima a sociedade de advogados da comunidade local através da herança cultural mais valiosa de Alfama: o fado.

O auditório da Abreu Advogados foi um dos palcos mais requisitados do Santa Casa Alfama, ao acolher concertos de quatro artistas que representam o fado na sua forma mais pura. Catarina Rocha foi a primeira a subir ao Palco Amália na sexta-feira; seguiu-se Miguel Ramos numa das atuações mais aclamadas desta edição, que incluiu o regresso da ‘Balada do Sol Errado’, canção que lhe valeu a vitória em diversos concursos de fado ao longo da carreira.

No sábado, o auditório da Abreu Advogados recebeu Tânia Oleiro no primeiro concerto da noite, antes do encerramento com chave de ouro: Maria Amélia Proença, uma das mais antigas fadistas portuguesas em atividade, encantou o público presente e aqueceu a noite fria de Lisboa com fados clássicos.

Mais de 40 artistas subiram aos palcos do Santa Casa Alfama nos dias 28 e 29 de setembro, em duas noites de grande animação e com fado para todos os gostos. Dulce Pontes, Paulo de Carvalho, Raquel Tavares, João Pedro Pais, Diogo Piçarra e Maria Emília foram alguns dos principais nomes que trouxeram centenas de pessoas ao bairro de Alfama para dançar e cantar ao ritmo da música tradicional portuguesa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Abreu Advogados recebe Festival Santa Casa Alfama

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião