Depois de muitas críticas, Amazon aumenta salário mínimo

Os aumentos salariais vão acontecer nos Estados Unidos e no Reino Unido. Nos EUA, os funcionários vão receber 15 dólares por hora.

Os trabalhadores da Amazon vão ser aumentados. Em resposta às duras críticas pelos salários baixos que oferece aos seus colaboradores, Jeff Bezos anunciou uma revisão em alta do valor mínimo por hora a pagar tanto aos funcionários nos EUA como no Reino Unido.

Nos centros norte-americanos, de acordo com o The Wall Street Journal (acesso pago, conteúdo em inglês), o salário mínimo vai subir para 15 dólares (13 euros) por hora, enquanto no Reino Unido vai aumentar para 9,5 libras (10,7 euros) por hora. Já em Londres, a subida vai ser maior do que no resto do país: 10,5 libras (11,8 euros) por hora, diz o Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Os novos salários serão atualizados a partir de 1 de novembro, e vão incluir, nos Estados Unidos, mais de 250 mil funcionários efetivos e 100 mil temporários. No Reino Unido o número é menor: 17 mil trabalhadores efetivos e 20 mil temporários.

Ouvimos os nossos críticos, pensámos muito sobre o que queríamos fazer e decidimos que queremos liderar“, disse o fundador e CEO, Jeff Bezos, em comunicado. “Estamos entusiasmados com esta mudança e incentivamos os nossos concorrentes e outras grandes empresas a juntarem-se a nós”, acrescentou. O salário médio anual dos trabalhadores da Amazon era de 28.446 dólares (cerca de 32 mil euros).

O CEO da Amazon foi, recentemente, alvo de duras críticas depois de ter doado dois mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros) a um fundo filantrópico (com a finalidade de ajudar causa sociais), sendo acusado de hipocrisia, pelas condições de trabalho que oferece aos trabalhadores. “Há relatos verídicos de funcionários da Amazon que moram em tendas porque não conseguem suportar uma renda com os seus salários”, disse um dos críticos à BBC.

Com esta decisão, Bezos não só responde aos críticos como pretende agora desafiar o Congresso dos EUA a aumentar o salário mínimo federal, que está estabelecido em 7,25 dólares (6,25 euros) por hora há quase uma década. “Pretendemos defender um aumento do salário mínimo que terá um impacto profundo na vida de dezenas de milhões de pessoas e de família em todo o país”, disse Jay Carney, vice-presidente para os assuntos empresariais da Amazon.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois de muitas críticas, Amazon aumenta salário mínimo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião