Porto? Amazon entra em Portugal com escritório em Lisboa

Depois de anunciar a abertura de um escritório no Porto, a Amazon antecipa-se e decide instalar-se primeiro na capital.

Depois de ter anunciado a intenção de entrar em Portugal, mas rumando ao Porto, a Amazon decidiu instalar-se em Lisboa. A Amazon Web Services (AWS), que fornece serviços de computing, armazenamento, redes e bases de dados, abriu um escritório na capital portuguesa de modo a “dar suporto à base crescente de clientes no país”. Vai apoiar startups e algumas das mais antigas empresas presentes no país, acompanhando a sua transição para a Cloud AWS.

“Estamos entusiasmados por abrir o nosso primeiro escritório AWS em Portugal” afirma Miguel Alava, Diretor da AWS para o sul da Europa, em comunicado.“A decisão de abrir oficialmente um escritório em Lisboa surge no seguimento de muitos anos a apoiar os clientes do país na sua adoção da cloud“, nota.

Temos vindo a denotar um interesse real por parte das empresas em Portugal, que pretendem arrancar com a AWS para inovar, reduzir os seus custos de TI e fazer crescer as suas organizações em todo o mundo. Estamos ansiosos por promover o pioneirismo do país ao lado dos nossos clientes, ajudando-os a acelerar a sua transformação digital e a fornecer novos e inovadores produtos e serviços”, acrescenta.

No início do ano, o Jornal de Negócios avançou que a Amazon estava a preparar um investimento em território nacional, citando “fonte próxima do processo”. Em causa estaria já a negociação de um espaço no Porto, na zona nobre da Boavista, tendo a mesmo fonte indicado que a entrada no país poderia ser oficializada no primeiro trimestre, o que não acabou por acontecer. Mais tarde, o Expresso veio acrescentar que o negócio que a Amazon estava à procura não seria de retalho nem de distribuição, mas sim para a AWS.

Contactada pelo ECO se a hipótese de a empresa se instalar no Porto ainda está em cima da mesa, fonte da Amazon não quis fazer comentários, dizendo desconhecer também se a Invicta foi “trocada” pela capital.

As equipas da AWS são compostas por gestores de conta, gestores de parceiros, arquitetos de soluções e outros profissionais. Cada um desenvolve uma função específica em determinada área, tais como análise de big data, mobile, web e social media, aplicações de negócio empresariais, entre outros, entre os principais clientes portugueses estão a EDP, Feedzai, Grupo Impresa, Miniclip, OutSystems, Unbabel e Uniplaces.

(Notícia atualizada às 9h51 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Porto? Amazon entra em Portugal com escritório em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião