Ribeiro Mendes oficializa candidatura à Associação Mutualista com João Costa Pinto para o conselho geral

Fernando Ribeiro Mendes oficializou a sua candidatura à liderança da Associação Mutualista Montepio. Conta com João Costa Pinto, antigo vice-presidente do Banco de Portugal, para o conselho geral.

Está lançada a campanha de Fernando Ribeiro Mendes para a liderança da Associação Mutualista Montepio Geral. O administrador que tem manifestado divergências com o atual presidente Tomás Correia aceitou o convite dirigido pelo grupo de subscritores do Manifesto “Construir a Confiança” para liderar uma lista que terá João Costa Pinto, ex-vice-presidente do Banco de Portugal, como nome indicado para concorrer ao Conselho Geral da mutualista.

“Desafiei já o dr. João Costa Pinto para encabeçar a nossa candidatura ao Conselho Geral. Não me disse que não. Estou animado”, adiantou Ribeiro Mendes numa conferência realizada esta quarta-feira num hotel em Lisboa.

A iniciativa marcou o arranque da campanha de Fernando Ribeiro Mendes para as eleições na maior mutualista do país agendadas para próximo dia 7 de dezembro e contou com a presença de várias personalidades como Norberto Pilar (ex-presidente da TAP e dos CTT) e João Proença (ex-UGT), dois dos subscritores do designado manifesto Anti-Tomás Correia. Também Miguel Coelho, outro administrador desalinhado dentro da atual administração da AMMG, esteve presente.

“Penso estar em condições de liderar a futura administração, promovendo uma lista de grande credibilidade”, frisou Fernando Ribeiro Mendes, antigo secretário de Estado da Segurança Social do Governo de António Guterres.

Durante o discurso, o administrador falou em “mudança tranquila” que deve ocorrer na gestão da AMMG com estas eleições. “No imediato, importa estabilizar a Associação Mutualista”, disse, apontando para a revisão dos estatutos que o novo Código das Associações Mutualistas impõe como instrumento para “criar as condições para a plena participação dos associados na vida do Montepio.

Acrescentou ainda: “Devemos iniciar de imediato uma trajetória de reequilíbrio do balanço da associação, a acordar com a Autoridade de Supervisão dos Seguros, diversificando gradualmente a composição dos ativos que respondem pelas responsabilidades na modalidades de benefícios, que deveremos realizar de uma forma prudente e sustentada”.

Já à margem do evento, Fernando Ribeiro Mendes revelou que vai manter o atual conselho de administração da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) caso seja eleito novo presidente. “Não antevejo nenhuma situação que pudesse por em causa a continuidade do dr. Carlos Tavares e da sua equipa”, disse.

Sobre o falhanço nas negociações para a criação de uma lista única alternativa para concorrer com Tomás Correia, uma notícia avançada pelo ECO, o candidato (para já único) reconheceu as “dificuldades” que existem para chegar a um entendimento com as listas derrotadas nas últimas eleições, mas disse estar “esperançado” e “apostado” em aproximar pontos de vista.

O acordo “não falhou, pode falhar”, constatou. “Há contactos entre associados e prosseguem dificuldades. Pessoalmente, estou esperançado e aposto que na iniciativa que agora levo a cabo possam convergir todos aqueles que se identifiquem com estes princípios”, disse.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ribeiro Mendes oficializa candidatura à Associação Mutualista com João Costa Pinto para o conselho geral

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião