Trump aumentou fortuna do pai com esquemas fiscais. Recebeu mais de 400 milhões de dólares

O Presidente dos EUA terá participado em esquemas fiscais "duvidosos", que incluem casos de fraude, nos quais Trump e os seus irmãos ajudaram os pais a esquivarem-se dos impostos.

Donald Trump continua a dar que falar, e não pelas melhores razões. Desta vez, o Presidente dos Estados Unidos da América (EUA) é acusado de ter participado em esquemas fiscais “duvidosos”, que incluem casos de fraude, nos quais Trump e os seus irmãos ajudaram os pais a esquivarem-se dos impostos, avança esta quarta-feira o jornal The New York Times (acesso livre, conteúdo em inglês).

Trump ganhou a presidência dos EUA proclamando-se bilionário e, já há muito tempo, que diz que o seu pai não lhe deu ajuda financeira quase nenhuma. No entanto, a investigação conduzida pelo The New york Times mostrou que o Presidente dos EUA recebeu pelo menos 413 milhões de dólares dos negócios imobiliários do seu pai, o construtor Fred C. Trump.

Foi com estes esquemas, durante a década de 1990, que Trump terá aumentado consideravelmente a fortuna que recebeu dos seus pais. Trump e os irmãos criaram uma empresa fictícia, em 1992, para disfarçar a transferência de dinheiro de Fred Trump para os filhos.

A investigação mostra, também, como é que Donald Trump ajudou o seu pai a evitar o pagamento de centenas de milhões de dólares em Imposto de Renda, por meio de brechas fiscais e da subestimação do valor dos seus bens.

“Os pais do Presidente, Fred e Mary Trump, transferiram mais de mil milhões de dólares em riqueza aos seus filhos, valor que poderia ter produzido uma fatura de 550 milhões em imposto, conforme a tarifa de 55% aplicada na época sobre doações e heranças. Os Trump pagaram um total de 52,2 milhões, cerca de 5%, mostram os registos tributários”, escreve o jornal.

Recorde-se que, durante a campanha presidencial, Trump promoveu-se como um magnata imobiliário graças ao seu próprio esforço, que começou somente com um empréstimo “muito pequeno” do seu pai.

Estado já está a investigar as obrigações fiscais da família Trump

Perante a investigação do NYT, que diz que Trump impulsionou a fortuna que herdou do seu pai através de esquemas fiscais “duvidosos”, o registo de impostos da família Trump já estão a ser analisados pelo estado de Nova Iorque.

O mesmo estado disse estar a examinar as alegações e a “perseguir vigorosamente todas as vias apropriadas de investigação”, segundo avança o Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump aumentou fortuna do pai com esquemas fiscais. Recebeu mais de 400 milhões de dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião