Cheque de 2.250 euros para elétricos mantém-se. Estado vai comprar 600 carros

No âmbito da promoção da mobilidade elétrica, o Governo decidiu manter o "cheque" para a compra de automóveis elétricos, tanto para empresas como para particulares.

Quer comprar um carro elétrico? Os cheques para incentivar a aquisição destes veículos vão continuar a ser entregues no próximo ano, tanto a empresas como a particulares. A medida faz parte da proposta de Orçamento do Estado para 2019 entregue pelo Governo na Assembleia da República.

“No que se refere à promoção da mobilidade elétrica, serão mantidos os incentivos em vigor, de entre os quais os incentivos fiscais para reforço do consumo de veículos elétricos por parte das empresas e o incentivo de 2.250 euros, tanto para empresas, como para particulares“, refere o documento.

Além disso, o próprio Estado vai comprar mais carros elétricos. “O Estado continuará o seu processo de liderança pelo exemplo, ao concretizar a 3.ª fase do projeto ECO.MOB, com a introdução de novos veículos elétricos nas frotas da Administração Publica, incluindo a local”, diz o documento.

Através do Fundo Ambiental, o programa de incentivo à mobilidade elétrica”, o Governo vai apoiar a “introdução de 600 veículos elétricos exclusivamente para organismos da Administração Pública, incluindo a local, para os quais os veículos sejam indispensáveis à sua atividade operacional”, remata.

Na proposta de OE, o Governo refere ainda que tendo em conta a crescente adesão dos portugueses aos automóveis elétricos, a “rede piloto de carregamento MOBI.E, 2019 será o ano da total cobertura do território nacional, prevendo-se a conclusão da segunda fase da rede piloto, com a instalação de um posto de carregamento em cada município em falta”.

“Será dado, ainda, início ao pagamento da energia para a mobilidade elétrica, permitindo que a futura expansão seja feita em regime de mercado, com o respetivo investimento por parte dos operadores de pontos de carregamento”, nota. Os valores a pagar vão ser conhecidos a 1 de novembro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cheque de 2.250 euros para elétricos mantém-se. Estado vai comprar 600 carros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião