“Bombas” das empresas vão passar a ser taxadas a 37,5%

O Governo quer aumentar os impostos sobre os gastos com carros das empresas. Os mais baratos sofrem o maior aumento da tributação autónoma, mas nos mais caros a taxa sobe até 37,5%.

Ter carro da empresa vai sair mais caro… para as empresas. As taxas de tributação autónoma sobre os gastos com viaturas ligeiras de passageiros, motos e motociclos das empresas vão subir com o Orçamento do Estado para 2019. Incidirá sobre tanto os carros mais baratos como os mais caros, sendo que no caso das “bombas” a taxa vai chegar aos 37,5%.

O documento entregue na Assembleia da República nesta segunda-feira prevê que para as viaturas com um custo inferior a 25 mil euros, as mais populares entre as pequenas e médias empresas, a taxa passe de 10% para 15%. Ou seja, um aumento na ordem dos 50%.

Já para as viaturas com um custo de aquisição seja igual ou superior a 25 mil euros e inferior a 35 mil euros, não ocorre qualquer alteração. As empresas vão continuar a pagar uma taxa de 27,5%, mas o mesmo não acontece nos automóveis mais caros, as chamadas “bombas”.

No caso dos carros mais valiosos adquiridos pelas empresas, ou seja modelos que para estas têm preços acima de 35 mil euros (são ainda mais caros para os particulares), há um agravamento de menor dimensão. É na ordem de 7%, mas que coloca a respetiva taxa nos 37,5%. Atualmente, este tipo de viaturas é tributado a uma taxa autónoma de 35%.

Comentários ({{ total }})

“Bombas” das empresas vão passar a ser taxadas a 37,5%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião