João Galamba diz esperar ser “o homem certo” para secretário de Estado da Energia

  • Lusa
  • 24 Outubro 2018

Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica", diz João Galamba.

O novo secretário de Estado da Energia, João Galamba, disse esta terça-feira esperar ser “o homem certo” para tutelar a pasta governamental do setor, escusando-se a responder às críticas à sua nomeação.

“Sou o homem que neste momento está na Energia e espero que seja o homem certo”, disse João Galamba aos jornalistas, em Serpa, no distrito de Beja, depois de ter sido questionado sobre se é o homem certo para ser secretário de Estado da Energia.

Instado pelos jornalistas a reagir às críticas à sua nomeação como secretário de Estado da Energia, no âmbito da recente remodelação do Governo, João Galamba respondeu: “Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica”.

Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica.

João Galamba

Secretário de Estado da Energia

Questionado sobre as principais medidas da proposta de Orçamento do Estado para 2019 no setor da energia, João Galamba disse “há medidas que são já conhecidas”, como a “de redução do défice tarifário, portanto, de redução do preço da eletricidade”, que “é uma das medidas importantes deste Orçamento”.

João Galamba falava à margem da última de uma série de sessões que o Governo, liderado pelo socialista António Costa, promoveu entre a passada sexta-feira e hoje para apresentar a proposta de Orçamento do Estado para 2019 a militantes do PS. Foram aas primeiras declarações de João Galamba aos jornalistas após ter tomado posse, na passada quarta-feira, como secretário de Estado da Energia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Galamba diz esperar ser “o homem certo” para secretário de Estado da Energia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião