Galamba e Carlos Pereira confrontados com termos técnicos na energia. O ECO fez um glossário

Carlos Pereira e João Galamba foram escolhidos pelo Governo para cargos no setor energético, mas estão debaixo de fogo pela alegada falta de conhecimentos técnicos da área. O ECO fez um glossário.

João Galamba e Carlos Pereira estão debaixo de fogo. Partidos põem em causa o conhecimento técnico dos dois nomes nomeados pelo Governo para desempenharem funções no setor da energia.

Carlos Pereira e João Galamba, duas personalidades nomeadas pelo Governo para exercerem funções no setor da energia, têm estado debaixo de fogo na última semana. Carlos Pereira foi escolhido para vogal da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), enquanto João Galamba foi escolhido para o cargo de secretário de Estado da Energia. Nas duas situações, os partidos têm posto em causa os conhecimentos técnicos que ambos terão para desempenharem os respetivos cargos para os quais foram apontados.

Esta quarta-feira, na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, o deputado social-democrata Emídio Guerreiro não hesitou quando perguntou a Carlos Pereira se sabe “o que é um watt”, se sabe “a diferença entre megawatt elétrico e megawatt térmico” e se conhece “a diferença entre energia e potência”. Carlos Pereira, que é deputado do PS, não respondeu diretamente às perguntas, defendendo que, “naquilo que são as funções de um administrador de uma entidade reguladora, o que é verdadeiramente essencial e determinante é poder fazer uma avaliação do mercado e definir os modelos regulatórios”.

Quanto a João Galamba, deputado do PS e ex-porta-voz do partido, foi alvo de questões semelhantes vindas do vice-presidente do PSD, Salvador Malheiro. As questões surgem numa publicação do social-democrata no Facebook: “Saberá o novo secretário de Estado da Energia a diferença entre um quilowatt, um quilowatt-hora, um joule e um cavalo-vapor? E conhecerá a 1.ª Lei da Termodinâmica? Ou o que é a Termodinâmica? Não creio.”

Face a estas questões, o ECO foi à procura de respostas e elaborou um glossário de energia para principiantes. Abaixo, poderá ficar a saber mais um pouco acerca do setor energético.

Glossário da energia para principiantes

  • O que é um watt (W)? O watt é a unidade básica de potência do Sistema Internacional de Unidades. Representa a quantidade de energia em joules que é usada, convertida ou dissipada num segundo (1 W = 1 J/s).
  • O que é um quilowatt (kW)? Um quilowatt são 1.000 watts (1 kW = 1.000 W).
  • O que é um megawatt (MW)? Um megawatt são 1.000 kW, ou seja, um milhão de watts (1 MW = 1.000 kW = 1.000.000 W).
  • O que é um cavalo-vapor (cv)? É uma unidade de medida de potência, mas que não integra o Sistema Internacional de Unidades e, por isso, é menos usada no meio científico (1 cv = 735,49875 W).
  • O que é um joule (J)? O joule é a unidade básica de energia do Sistema Internacional de Unidades. Representa a energia despendida ao exercer a força de um newton (N) pela distância de um metro (1 J = 1 N x 1 m).
  • Energia vs. potência: São duas grandezas físicas. A energia é a capacidade de um corpo em produzir trabalho e mede-se em joules. A potência é a quantidade de energia despendida por unidade de tempo.
  • O que é um watt-hora (Wh)? Um watt-hora é uma unidade de energia. Por exemplo, se tiver uma lâmpada com uma potência de 11 watts e quiser saber quanta energia é consumida se a mantiver ligada durante duas horas, deve multiplicar a potência pelo tempo. Ou seja, essa lâmpada consome 22 Wh. Para saber o consumo em quilowatts-hora, basta fazer a conversão (dividir por 1.000): ou seja, 0,022 quilowatts-hora.
  • Megawatt elétrico vs. megawatt térmico: Existem vários tipos de energia: a elétrica, a mecânica (movimento), a térmica (calor), e por aí em diante. O megawatt elétrico (MWe) é um múltiplo do watt elétrico (We) e corresponde à capacidade de produção de energia elétrica. Já o megawatt térmico (MWt) é um múltiplo do watt térmico (Wt) e corresponde à capacidade de produção de energia térmica, ou seja, mede a quantidade de energia libertada de forma térmica numa central termoelétrica. Por exemplo, uma central termoelétrica de 2.000 megawatts térmicos, que tenha um rendimento de 50%, tem a capacidade de produzir 1.000 MW de potência elétrica.
  • O que é a termodinâmica? A termodinâmica é um ramo da física. Estuda as leis que regem as relações entre trabalho, calor e energia térmica.
  • O que é a 1.ª Lei da Termodinâmica? É também chamada de lei da conservação da energia. Diz que um sistema não é capaz de criar ou consumir energia, mas apenas de a armazenar ou de a transferir ao meio, sob a forma de trabalho. Em termos técnicos, a 1.ª Lei da Termodinâmica indica que “a energia total transferida para um sistema é igual à variação da sua energia interna”. Explica ainda que, num sistema isolado, a energia é constante.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galamba e Carlos Pereira confrontados com termos técnicos na energia. O ECO fez um glossário

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião