João Galamba apontado para pasta da Energia

  • ECO
  • 15 Outubro 2018

Deverá ser João Galamba, antigo vice-presidente da bancada parlamentar do PS, a assumir o cargo de secretário de Estado da Energia, avança a Sic Notícias.

Com a saída de Jorge Seguro Sanches, deverá ser João Galamba, antigo vice-presidente da bancada parlamentar do PS, a assumir o cargo de secretário de Estado da Energia do Executivo de António Costa, avança a Sic Notícias. O presidente do IPO, Francisco Ramos, deverá, por sua vez, assumir o lugar de secretário de Estado no Ministério da Saúde, revela o Diário de Notícias.

No âmbito da remodelação registada, este fim de semana, no seio do Governo, Seguro Sanches deixou a liderança da secretaria da Energia, que passará agora para a tutela do Ministério do Ambiente.

O lugar deverá agora ser ocupado por João Galamba, de acordo com as fontes ouvidas pela Sic Notícias. Galamba é deputado e ex-vice-presidente da bancada parlamentar do PS, tendo abandonado o cargo de porta-voz da Comissão Permanente do partido, em maio. Além disso, o socialista integra o Secretariado Nacional do PS, órgão de direção formal do partido que é liderado por António Costa.

Por sua vez, Francisco Ramos vai passar a ocupar o lugar de secretário de Estado, no Ministério da Saúde. O atual presidente do Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPO) deverá substituir Rosa Valente Matos. A concretizar-se, esta será a quinta vez que integra um Executivo: ocupou a secretaria de Estado da Saúde em dois governos de António Guterres e dois de José Sócrates.

A tomada de posse dos novos secretários de Estado — que serão, entretanto, nomeados — está marcada para esta quarta-feira, pelas 11h00, em Belém.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Galamba apontado para pasta da Energia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião