PS propõe IVA de 6% nas touradas. Dá liberdade de voto aos socialistas

  • Lusa
  • 15 Novembro 2018

O PS vai apresentar uma proposta de alteração ao Orçamento para incluir a tauromaquia no conjunto de espetáculos culturais com redução do IVA. Os deputados socialistas terão liberdade de voto.

O PS anunciou esta quinta-feira que apresentará uma proposta de alteração ao Orçamento para incluir a tauromaquia no conjunto de espetáculos culturais que terão uma redução do IVA para 6%, tendo os deputados socialistas liberdade de voto.

Esta posição foi transmitida aos jornalistas pelo presidente do Grupo Parlamentar do PS, Carlos César, no final da reunião semanal da bancada socialista. No debate do Orçamento do Estado para 2019, na generalidade, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, recusou descer o IVA de 13 para 6% da tauromaquia e alegou que se trata de uma questão de “civilização”.

Numa alusão às diferenças de opinião existentes entre os socialistas, Carlos César adiantou que, se a proposta do PS de descida do IVA da tauromaquia for avocada em plenário, os deputados socialistas terão liberdade de voto.

“Em relação à tauromaquia, a nossa posição é basicamente esta: há uma maioria de deputados [socialistas] expressiva no sentido de incluir a tauromaquia juntamente com as outras valências culturais que diminuirão a sua taxa [de IVA] para 6%, caso dos espetáculos de dança, de teatro e de música nos termos que são constantes na proposta do Governo”, declarou Carlos César.

Ou seja, de acordo com o líder da bancada socialista, por via da proposta do PS de alteração ao Orçamento do Estado, “a tauromaquia fará também parte do conjunto de atividades que passarão a ter a taxa de 6%”.

“Não obstante, propus ao Grupo Parlamentar do PS – e foi aprovado – que, em caso de avocação para plenário, e tratando-se de matéria cuja implicação orçamental é praticamente residual, os deputados terão liberdade de voto”, completou o presidente do Grupo Parlamentar dos socialistas.

Ao conceder-se liberdade de voto, Carlos César disse acreditar que essa solução, perante uma matéria cuja avaliação “cabe fora do plano político e do plano orçamental”, permite “acomodar” os deputados que pretenderam votar contra a descida do IVA para as touradas.

“Formalmente, o Grupo Parlamentar do PS apresentará a proposta para incluir a tauromaquia entre aquelas atividades que passam à taxa de 6% e assim será votada em comissão pela bancada socialista. Se houver avocação para plenário, damos liberdade aos deputados que não têm esse entendimento para votarem como entenderem”, justificou Carlos César.

Questionado se o PS também pretende alargar a descida do IVA a espetáculos que não se realizem em recintos fixos, tal como os festivais de música, o líder parlamentar do PS fechou a porta a essa alteração.

A única alteração em relação à proposta que partiu do Governo é a introdução da tauromaquia“, vincou o líder da bancada socialista.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS propõe IVA de 6% nas touradas. Dá liberdade de voto aos socialistas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião