Lisboa cai pressionada pelo BCP e pela Sonae Capital

A sessão em Lisboa e na generalidade das praças europeias tem um arranque misto, com os índices a oscilar entre terreno negativo e positivo. Por cá, é o BCP quem mais pesa.

Lisboa arrancou a segunda sessão da semana em terreno verde, impulsionada pela Mota-Engil que regista ganhos superiores a 3%. As quedas do BCP e da Sonae Capital fazem tremer a bolsa nacional, que oscila entre ganhos e perdas.

O índice de referência nacional, o PSI-20, abriu a sessão a subir 0,36% para os 4.878,49 pontos. Tal como na sessão anterior, a maioria das cotadas arranca no verde, com apenas três a cair. Mas com a pressão do BCP, da Sonae Capital e da Navigator, o índice cai abaixo da linha de água.

A pesar no índice está o BCP, que cai 1,57% para os 0,23 euros, e a Sonae Capital que perde 1,83% para os 0,74 euros. Também a Navigator cai para terreno vermelho, com os títulos a recuar 0,70% para os 3,67 euros.

Já no espetro oposto, a Mota-Engil estende os ganhos, depois de os títulos valorizarem mais de 7% na última sessão, com o anúncio de que os pequenos investidores apresentaram ordens num total de 140 milhões no âmbito da emissão obrigacionista. A construtora arranca a sessão desta terça-feira a subir 1,47% para os 1,65 euros.

Ainda nos ganhos, destaque para a Semapa, que sobe 1,13% para os 14,38 euros, e para a papeleira Altri, que soma 1,34%. O setor elétrico também marca presença em terreno verde, com a família EDP a registar subidas na ordem dos 0,40%.

Na Europa, o sentimento é misto na generalidade das praças. A negociação não tem tendência definida, com os índices a oscilar entre terreno positivo e negativo. O índice que agrega as principais cotadas do Velho Continente abriu a sessão a cair 0,06%.

Comentários ({{ total }})

Lisboa cai pressionada pelo BCP e pela Sonae Capital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião