Contratar em tecnologia: como atrair e reter talento?

Portuguesa landing.jobs organiza, pela segunda vez, uma conferência sobre recrutamento em tecnologia. Um dos convidados é recrutador da Google.

Como atrair e manter talento na tecnologia, nas empresas? É para responder a esta e a outras perguntas que a portuguesa landing.jobs volta a organizar a Tech Hiring Conference, um encontro em que se discutem as melhores maneiras de escolher, contratar e manter talento em tecnologia.

“Falar sobre recrutamento em tecnologia é essencial para quem está envolvido em processos de recrutamento, tanto em recursos humanos como técnicos com responsabilidades nestas funções”, explica Pedro Oliveira, cofundador e CEO da landing.jobs, ao ECO.

Entre os temas em discussão estão dimensões como o employer branding, tecnologias que existem no mercado ou que vão existir e processos de recrutamento tendo em conta o custo-eficiência. Mas, sublinha Pedro Oliveira, tem sobretudo em conta as características dos futuros colaboradores tech. “Hoje, não podes ter processos de três ou quatro meses. O mercado está virado para todo o talento, é o talento que comanda“, esclarece.

Direcionada para managers, diretores executivos e departamentos de recursos humanos, a conferência acontece esta terça-feira à tarde (das 14h às 19h30), no hotel Holiday Inn, em Lisboa. Entre os nomes presentes estão Anna Ott, especialista de recursos humanos há mais de 18 anos, e Dave Hazlehurst, especialista em recrutamento que trabalha com empresas como o LinkedIn ou a Google. O preço dos bilhetes varia entre os 10 euros, para estudantes, e aos 100 euros e as inscrições podem ser feitas aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Contratar em tecnologia: como atrair e reter talento?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião