Portugueses compram pouco online. Exceção está nas viagens

Se, por um lado, os portugueses compram poucos artigos para a casa pela internet, por outro, estão a adquirir mais viagens e alojamento do que a média da União Europeia.

Comprar a partir da comodidade de casa ou até aproveitando o tempo nos transportes públicos, a qualquer hora e, ainda, ter muitas vezes acesso a uma maior gama de produtos são algumas das vantagens que quem compra online privilegia. Mas nem todos os Estados-membros da União Europeia (UE) são fãs do comércio eletrónico.

Portugal, ainda que esteja a crescer neste sentido, situa-se muito abaixo da média dos países da UE em praticamente todas as categorias de produtos, exceto quando as compras são de viagens ou estadias.

De acordo com o Gabinete de Estatísticas da União Europeia, o Eurostat, em linhas gerais, considerando todas os compradores online da UE, esta percentagem era de 50% em 2007. Passados dez anos, em 2017, 68% fez compras através da internet. Na União Europa, a maior percentagem de adeptos de compras online é a do Reino Unido (86%) e da Suécia (84%), seguidos da Dinamarca, Alemanha, Luxemburgo e Holanda.

Nos últimos dez anos, a proporção de compradores através da internet aumentou tem todos os grupos etários. Contudo, o destaque vai para os utilizadores mais jovens, com idades compreendidas entre os 16 e os 24 anos (de 44% em 2007 para 71% em 2017).

Portugal, por sua vez, está longe dos pódios do comércio eletrónico.

Longe da UE a comprar mobília, acima da média a adquirir viagens

A maior diferença entre a média europeia e a média portuguesa situa-se nos bens para a casa. Os portugueses não são muito adeptos de comprar eletrodomésticos, plantas, artigos de decoração ou mobília através da internet. Apenas 28% tem esse hábito, que compara com a média da UE (46%). Já o Reino Unido é o país que ocupa o primeiro lugar nesta categoria.

 

Na hora de marcar férias, os portugueses não perdem tempo para comprar viagens e alojamento, fazendo-o sobretudo através da internet. Sendo a única categoria em que Portugal se situa acima da média europeia (53%), 54% dos portugueses compra viagens e estadia online. Já na Croácia, apenas 15% tem esse hábito e, na ponta oposta, 78% na Suíça.

 

Roupa e equipamentos desportivos. As escolhas dos portugueses

Se não olharmos para o gap entre Portugal e a média da União Europeia, é também possível, através da infografia do Eurostat, analisar quais os artigos que os portugueses mais compram. E, no meio da encomendas que chegam às suas casas, fruto de compras online, é mais provável que estejam artigos de desporto e roupa. Há 60% de portugueses que recorrem à internet para comprar sapatos, acessórios, roupa, entre outros artigos dentro da mesma categoria. A Roménia é o país onde mais pessoas compram roupa e equipamentos desportivos através da internet (75%). Já a Itália está na ponta oposta, com uma proporção de 39%.

Por outro lado, aquilo que vai encontrar muito pouco dentro das caixas de encomendas são aparelhos eletrónicos, como telemóveis, computadores, colunas, câmaras fotográficas ou outro tipo de equipamentos (24%). É que, no que toca a eletrónica, os portugueses preferem comprar de forma mais tradicional, ao contrário dos holandeses, onde 35% prefere comprar online este tipo de artigos.

 

Comentários ({{ total }})

Portugueses compram pouco online. Exceção está nas viagens

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião