Alibaba quer ajudar marcas portuguesas a chegar ao mercado chinês

  • ECO
  • 29 Novembro 2018

Os produtos nos quais Portugal se destaca são azeite, vinho, têxteis/lar, alimentos e café, aponta o diretor-geral da Alibaba para a Europa do Sul, Rodrigo Cipriani Foresio.

O Alibaba, grupo fundado por Jack Ma, quer ajudar empresas portuguesas a chegar a mais clientes, funcionando como porta de entrada no mercado chinês.

“Queremos apresentar como o nosso sistema funciona e como podemos apoiar da melhor forma as marcas portuguesas a chegar aos 600 milhões de consumidores chineses“, indica Rodrigo Cipriani Foresio, diretor-geral para a Europa do Sul, em entrevista ao Jornal de Negócios (acesso condicionado).

Para Rodrigo Cipriani Foresio, os pontos fortes de Portugal que podem apelar aos consumidores chineses do site, tipicamente jovens e em busca de produtos ‘trendy‘, são azeite, vinho, têxteis/lar, alimentos e café.

Existem cerca de dez “flagship stores” portuguesas na plataforma do Alibaba, como a Delta e a Parfois, e está já delineada uma parceria com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

“O nosso principal objetivo é apoiar os pequenos e médios negócios a integrarem a nossa plataforma”, acrescenta Rodrigo Cipriani Foresio. O empresário está presente em Portugal para a conferência Alibaba, que ocorre nesta quinta-feira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alibaba quer ajudar marcas portuguesas a chegar ao mercado chinês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião