IPO? Conheça a Science4you em 15 números

Empresa de brinquedos didáticos e educativos lançou esta quarta-feira uma oferta pública inicial. Entrada em bolsa está prevista para dias antes do Natal.

A Science4you vai para a bolsa. A empresa portuguesa de brinquedos didáticos e educativos, criada há dez anos por Miguel Pina Martins, cresceu, mas agora quer ganhar novo fôlego para conquistar os mercados internacionais.

Conheça, neste artigo, 15 números que tiram uma “fotografia” ao negócio, às contas da empresa, mas também à operação que está a decorrer e deverá permitir à Science4you entrar no mercado de capitais dias antes do Natal.

2,45 euros

A Science4you vai vender ações a 2,45 euros, na oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), que começou esta quarta-feira e irá decorrer até 14 de dezembro. A operação dirige-se ao retalho em Portugal e irá incluir a emissão de novas ações da Science4you, mas também títulos dos atuais acionistas.

44,11%

A operação é composta por uma oferta pública de subscrição de até 3.367.346 novas ações, no âmbito do aumento de capital, acompanhado de uma oferta pública de venda de 2.755.102 ações já existentes e alienadas pelos atuais acionistas. O montante global corresponde a 44,11% do capital social da startup. À data do prospeto, o capital social é de 517 mil euros e, após o aumento de capital, poderá atingir os 8,77 milhões de euros.

7,6 milhões

Vendendo os títulos a 2,45 euros, a empresa prevê obter cerca de 8,25 milhões de euros com os novos títulos, sendo que a venda de ações por parte dos atuais acionistas gerará um encaixe de 6,75 milhões de euros. A Science4you adiantou que os custos associados à operação serão de 828 mil euros. Assim, o encaixe financeiro líquido para a startup será de 7,612 milhões de euros, enquanto a receita líquida estimada para os acionistas é de 6,56 milhões de euros, assumindo a subscrição integral do aumento de capital.

34 milhões

Tendo em conta a avaliação no IPO, a Science4you entrará no mercado de capitais avaliada em 34 milhões de euros. A análise financeira indica seis empresas comparáveis, todas elas consideravelmente maiores que a portuguesa. A Hasbro Inc. tem uma capitalização bolsista de 12,09 mil milhões de dólares (10,6 mil milhões de euros), enquanto a Mattel tem 4,7 mil milhões de dólares (4,13 mil milhões de euros) e a Spin Master Corp. 4,2 mil milhões de dólares canadianos (2,8 mil milhões de euros). Já a Games Worskshop group vale 945 milhões de libras em bolsa (1.066 milhões de euros), a Funko Inc. 382 milhões de dólares (335,8 milhões de euros) e a Zapf Creation 126 milhões de euros.

21 de dezembro

A admissão à negociação das ações no mercado não regulamentado Euronext Growth está prevista para dia 21 de dezembro, no dia seguinte à data prevista para o registo comercial do aumento de capital. Outras datas importantes da IPO incluem a conversão das ações em ações ordinárias e apuramento dos resultados pela Euronext em sessão especial, no dia 17 de dezembro, ou a liquidação física e financeira da oferta a 19 de dezembro.

34,88%

Atualmente, o maior acionista da Science4you é a Portugal Ventures (através dos fundos de capital de risco que gere) com 34,88% dos direitos de voto. Segue-se o BCP Capital (através do Millennium Fundo de Capitalização) com 28,18% e Miguel Pina Martins com 27,24%. As ações em free float representam agora 9,7%. Caso o IPO tenha sucesso, a nova estrutura de capital da Science4you será a seguinte: a Portugal Ventures irá manter-se no topo com 21,31%, enquanto Pina Martins irá passar para segundo lugar com 16,65% e o BCP CAPITAL ficará com 12,41%. As ações em free float vão representar 49,63% do capital.

500 brinquedos

A linha de produtos da Science4you inclui mais de 500 brinquedos científicos e educativos, sendo que o portefólio é complementado com serviços como festas de aniversário, atividades científicas em empresas e escolas, e campos de férias. A empresa liderada por Miguel Pina Martins conta com 22 pontos de venda em espaços comerciais em Portugal e exporta para mais de 60 países.

19,99 euros

A Fábrica Viscosa – Pega Monstros é o brinquedo da marca preferido desde, pelo menos 2015. O kit científico slime, em que as crianças podem criar massa viscosa, monstros pegajosos e minhocas, representou 15,1% das vendas da empresa. Custa 19,99 euros cada e as vendas totais atingiu um montante total de 3,17 milhões de euros, no ano passado.

300 funcionários

A Science4you detém uma unidade fabril própria em Portugal e emprega mais de 300 colaboradores. A administração da startup é liderada pelo fundador e CEO Miguel Pina Martins. Conta ainda com Luís Martins, João Jesus Pereira (designado pela Portugal Ventures em nome próprio) e Jaime Bernardes Costa como administradores não executivo.

21 milhões

Em 2017, as vendas e serviços prestados da Science4you ascenderam a 20.962.533 euros, o que representa um crescimento de 52% face às vendas do ano anterior. Em 2015, o montante de vendas e serviços prestados alcançaram a nove milhões de euros. O prospeto sublinha, no entanto, que a retração do mercado de brinquedos influenciada por vários fatores poderá traduzir-se numa quebra de vendas em 2018 entre 10% e 45% relativamente às vendas do ano anterior.

56%

O grupo apresenta um volume de vendas significativamente superior no último trimestre de cada ano quando comparado com os restantes trimestres, refletindo o aumento da procura durante a época do Natal e a sazonalidade do mercado. As vendas registadas no quarto trimestre de 2017 representaram cerca de 56% do volume total do ano.

Esta é, no entanto, também a altura do ano em que a startup tem maiores problemas com distribuidores. A grande distribuição em Portugal e Espanha é retratada como “um dos maiores desafios de cobrança, não só pela existência de um histórico de elevado prazo de pagamentos, como também por ser um canal de extrema complexidade”. O volume de faturação é bastante elevado, principalmente na época do Natal, ficando muitas faturas por pagar por apresentarem divergências, o que dificulta a gestão da conta corrente, de acordo com a Science4you.

80%

O número de clientes da Science4you aumentou, no ano passado, 80% “em resultado, sobretudo, do crescimento mais acentuado da faturação obtida no último trimestre de 2017 face a 2016”.

1,05 milhões

O forte crescimento nas vendas permitiu à Science4you apresentar um resultado positivo consolidado de 206 mil euros no ano passado. O EBITDA — lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações — foi de 2,18 milhões de euros. No prospeto, a Science4you apresentou as contas referentes aos primeiros oito meses deste ano. E entre janeiro e agosto de 2018, teve um prejuízo de 1,05 milhões de euros, que compara com um lucro de 105 mil euros em igual período do ano passado. O EBITDA passou de 281 mil euros positivos, no período homólogo, para 813 mil euros negativos.

800 mil

A Sicence4you sublinha que as contas relativas aos primeiros oito meses de 2018 não são auditadas. E no Relatório de Revisão Limitada publicado no prospeto são apresentadas conclusões com reservas e ênfases: “No período em análise, não foram registadas amortizações e as depreciações dos ativos intangíveis e dos ativos fixos tangíveis. Assumindo que o valor das depreciações e amortizações do período intercalar correspondem ao valor do ano anterior, ajustado para o período de oito meses, consideramos que ativo e capital próprio encontram-se sobreavaliados em valor estimado de pelo menos 800 mil euros”.

0

Tendo em consideração o aumento de capital previsto, bem como o objetivo do mesmo de reduzir o endividamento da empresa, reforçar a situação financeira e aumentar a flexibilidade para futuros investimentos, a Science4you não prevê pagar dividendos referentes ao exercício de 2018.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

IPO? Conheça a Science4you em 15 números

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião