Falência da Toys “R” Us deixou dívida de 770 mil euros nas contas da Science4you

Science4You apresentou contas pela primeira vez. Após lucro de 206 mil euros 2017, registou prejuízo superior a um milhão até agosto. Ativos e capital poderão estar sobreavaliados em 800 mil euros.

A Toys “R” Us faliu. Com a queda da empresa norte-americana, o negócio ibérico — foi, entretanto, comprado por investidores portugueses — arrastou consigo as contas da startup portuguesa que agora se prepara para entrar em bolsa. A cadeia de brinquedos deixou uma dívida 769.980,00 euros à sucursal espanhola da empresa liderada por Miguel Pina Martins. E poderá fazer afundar as receitas da Science4you este ano, agravando ainda mais os resultados líquidos que passaram de positivos para negativos antes de a empresa avançar com o IPO.

“Existe uma dívida da Toys “R” Us Espanha à Science4you no montante de 769.980 euros, com referência a 31 de agosto de 2018″, alerta o prospeto da oferta pública inicial de ações aprovado pela CMVM. Perante este cheque em falta, a Science4you Espanha apresentou prejuízos. Fechou 2017 com um resultado líquido negativo de 566 mil euros, sendo que o capital próprio passou para -547 mil euros.

“Para este resultado negativo contribuiu principalmente a falência da Toys “R” Us, na medida em que a Science4you Espanha provisionou créditos no valor de cerca de 500 mil euros, baseado no princípio da prudência e tendo em conta as notícias da falência e fecho efetivo da insígnia noutras geografias”, refere o prospeto.

Apesar deste impacto, a expectativa é de que seja possível recuperar esse cheque que ficou por pagar. Prevê-se que a maioria da dívida não provisionada seja liquidada através da devolução de mercadoria cujas vendas ocorreram em 2017″, lê-se no documento de admissão da empresa à bolsa.

Efeito Toys “R” Us. Vendas podem cair 45%

A falência da Toys “R” Us está a custar milhares de euros à Science4you, através da subsidiária espanhola, mas pode custar muito mais pelo efeito negativo que tem no setor. “É expectável que o mercado de brinquedos apresente uma retração por referência ao final de 2018”, diz a empresa.

A explicação para esta quebra assenta nos “resultados apresentados pelas duas empresas de referência no mercado dos brinquedos, a Mattel e a Hasbro, que anunciaram um decréscimo das vendas no segundo trimestre de 2018 de 13,7% e 7%, respetivamente”. “Uma das justificações apresentadas foi o impacto negativo causado pela falência da Toys “R” Us em vários países, com a venda de todo o stock a desconto que originou uma redução das vendas dos retalhistas concorrentes por via do preço e, consequentemente, uma redução das vendas dos distribuidores em virtude da redução das compras por parte dos retalhistas”.

"É expectável que o mercado de brinquedos apresente uma retração por referência ao final de 2018.”

Science4you

Assim, a Science4you “estima que o impacto global se possa traduzir numa quebra de vendas em 2018 entre 10% e 45% relativamente às vendas do ano anterior, o que poderá ter um impacto negativo na rentabilidade e na condição financeira da sociedade”, explica, apontando este como risco um dos riscos do IPO.

Prejuízos antes da entrada em bolsa

A perspetiva de quebra de receitas surge após um aumento de 52% para 20,9 milhões de euros em 2017 face a 2016. Um forte crescimento que permitiu à Science4you apresentar um resultado positivo (em termos consolidados) de 206 mil euros no ano passado. O EBITDA — lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações — foi de 2,18 milhões de euros.

Resultados positivos para os quais contribuiu o negócio no Reino Unido, que gerou lucros de 72,3 mil libras esterlinas (cerca de 81,5 mil euros), registando um capital próprio positivo de 30 mil libras esterlinas (equivalente a cerca de 34 mil euros). Mas de lucros, a Science4you passou para prejuízos.

No prospeto, a Science4you apresentou as contas referentes aos primeiros oito meses deste ano. E entre janeiro e agosto de 2018, teve um prejuízo de 1,05 milhões de euros, que compara com um lucro de 105 mil euros em igual período do ano passado. O EBITDA passou de 281 mil euros positivos, no período homólogo, para 813 mil euros negativos.

Sobreavaliação de 800 mil euros

A Sicence4you sublinha que as contas relativas aos primeiros oito meses de 2018 não são auditadas, tendo sido efetuadas com base nas contas individuais da Science4you, Science4you Espanha e Science4you UK — não havendo números para a atividade das duas subsidiárias até agosto. E no Relatório de Revisão Limitada publicado no prospeto são apresentadas conclusões com reservas e ênfases às contas de 31 de agosto de 2018 da Science4you.

“No período em análise, não foram registadas amortizações e as depreciações dos ativos intangíveis e dos ativos fixos tangíveis. Assumindo que o valor das depreciações e amortizações do período intercalar correspondem ao valor do ano anterior, ajustado para o período de oito meses, consideramos que ativo e capital próprio encontram-se sobreavaliados em valor estimado de pelo menos 800 mil euros”, alerta o revisor.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Falência da Toys “R” Us deixou dívida de 770 mil euros nas contas da Science4you

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião