Grupo português compra Toys “R” Us em Portugal e Espanha. Investimento é de 80 milhões

A Toys "R" Us enfrenta dificuldades financeiras nos EUA, mas a marca vai continuar com as suas lojas em Portugal e Espanha. A portuguesa Green Swan fez um investimento de 80 milhões na subsidiária.

A cadeia de brinquedos Toys “R” Us vai continuar com as operações em Portugal e Espanha após a sua compra por investidores portugueses, contando com a presidência executiva de Paulo Sousa Marques, anunciou a empresa em comunicado. Ao ECO, a empresa portuguesa Green Swan, que fez a aquisição, esclareceu que se trata de um investimento de 80 milhões de euros ao longo de quatro anos.

“A operação da Toys “R” Us Ibéria continuará em funcionamento e desenvolvimento em Espanha, após um processo de aquisição por investidores portugueses, a Green Swan, representada por Paulo Andrez”, que se juntam à atual equipa de gestão, “como novos proprietários”, refere a empresa.

“Este processo garante a continuidade do negócio da Toys “R” Us em Espanha e Portugal, mantendo-se em funcionamento todas as lojas e garantindo a manutenção dos postos de trabalho. Depois de alguma incerteza, derivada do encerramento do negócio em mercados como os Estados Unidos e Reino Unido, este processo, que contou com o apoio do Grupo Toys “R” Us e dos ‘stakeholders’ [partes interessadas] da Toys “R” Us Ibéria, afirma a sustentabilidade do negócio em Espanha e Portugal”, acrescenta.

Numa nota enviada ao ECO, a Green Swan referiu que “entre a aquisição e o investimento no negócio” deverá despender cerca de 80 milhões de euros na empresa ao longo de quatro anos. A holding Green Swan dedica-se “à aquisição de empresas viáveis e rentáveis, como a Toys “R” Us Iberia”, acrescenta a nota. “Assim, e por isso, Paulo Andrez convidou parte da atual equipa de gestão a ser acionista da nova empresa, garantindo a continuidade da gestão da Toys “R” Us em Espanha e em Portugal e foco no desenvolvimento do negócio”.

Paulo Sousa Marques será o novo presidente executivo da Toys “R” Us Ibéria, “dando assim continuidade aos sucessos desta marca histórica nos mercados de Espanha e Portugal”.

No comunicado, o presidente executivo afirma: “Estamos muito confiantes e seguros do futuro desta empresa, com todo o capital humano existente e as suas competências, nos colaboradores e parceiros, e muito motivados para continuar a oferecer às famílias, aos seus bebés e crianças, as melhores ofertas de produtos, desde a puericultura, materiais pedagógicos e os de entretenimento”.

O até agora diretor-geral da Ibéria e França, Jean Charretteur, considerou que “este acordo é consequência do processo desenvolvido pela empresa desde março, que tinha como objetivo encontrar um investidor que trouxesse os recursos e ambição para assegurar, em linha com a implementação do plano de negócios, a viabilidade da Toys “R” Us em Espanha e Portugal”. Em setembro, será inaugurada uma nova loja em Madrid.

“Nas próximas semanas serão definidos os novos objetivos para a empresa em Espanha e Portugal, que conta atualmente com 61 lojas e lojas online e 1.300 colaboradores, e partilhados, como habitual, com todas as equipas e parceiros históricos, garantindo ainda mais o futuro desta marca icónica, mantendo a sua filosofia de oferecer experiências únicas nas lojas, sejam elas físicas ou ‘online’, que mantêm a sua atividade com normalidade”, refere.

Em 14 de março último, o grupo anunciou que iria encerrar todas as lojas no Reino Unido, deixando mais de três mil pessoas no desemprego. No dia seguinte, divulgou que vai proceder à liquidação do negócio nos Estados Unidos. Coincidindo com aquele anúncio, a Toys “R” Us Iberia explicou que estudaria a viabilidade em Espanha e a possibilidade de vender o seu negócio no mercado espanhol, onde possui 53 lojas e 1.600 empregados.

A Toys “R” Us entrou em Portugal em 1993, com a abertura das lojas de Telheiras (Lisboa) e de Vila Nova de Gaia. Um ano depois inaugurou a unidade no Cascais Shopping e em 1997 em Braga e no Centro Comercial Colombo (Lisboa). Em 2002 inaugurou duas lojas no Almada Fórum e no Aveiro Retail Park. Em 2012 chegou ao Freeport, em 2014 ao Mar Shopping, em 2016 abriu em Braga e, em 2017, inaugurou a loja em Guimarães, de acordo com dados da empresa.

Notícia atualizada às 19:10 com o valor da aquisição.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo português compra Toys “R” Us em Portugal e Espanha. Investimento é de 80 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião