Chauffeur Privé expande cobertura a mais oito cidades. Já chega à Ericeira e a Setúbal

Depois de Lisboa, a mais nova concorrente da Uber, Chauffeur Privé, expande o serviço a oito novas cidades portuguesas. E já permite adicionar o NIF às faturas diretamente na aplicação.

A Chauffeur Privé, a última empresa a entrar no mercado dominado pela Uber, alargou significativamente a área de cobertura do serviço para as cidades de Vila Franca de Xira, Mafra e Ericeira, bem como Barreiro, Alcochete, Montijo, Sesimbra e Setúbal. A promessa foi feita pela empresa num comunicado.

“A marca pretende chegar a mais portugueses”, aponta a empresa francesa na mesma nota, onde garante que, com esta expansão, está a dar resposta “aos pedidos dos utilizadores”. Um passo largo que é dado apenas um mês depois de a empresa ter escolhido Lisboa para ser a primeira cidade fora de França a receber o serviço.

A estratégia seguida pela Chauffeur Privé revela-se, assim, diferente da que tem vindo a ser seguida pelas aplicações concorrentes, como a Uber, a Cabify e a Taxify. Estas plataformas eletrónicas de transporte têm crescido para cidades estratégicas, mas a uma velocidade inferior, garantindo primeiro a existência de motoristas suficientes para darem resposta aos serviços solicitados pelos clientes.

A empresa anunciou também uma nova funcionalidade para que os clientes possam adicionar o número de identificação fiscal às faturas, diretamente na aplicação, “sem passos adicionais”. “Consciente da importância desta ferramenta tão requisitada pelos utilizadores, agora basta inserir antes da viagem o seu número de identificação fiscal e as faturas serão, a partir daí, emitidas com a respetiva identificação. Se alterar o número na viagem seguinte, as faturas seguintes serão imediatamente alteradas também”, garante a empresa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chauffeur Privé expande cobertura a mais oito cidades. Já chega à Ericeira e a Setúbal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião