Europa em queda. EDP Renováveis pressiona Lisboa

A bolsa portuguesa acompanha a tendência negativa das restantes praças europeias. A EDP Renováveis lidera as quedas, numa sessão em que a maioria das cotadas está em terreno negativo.

Está a ser um final de semana negativo para a generalidade dos mercados acionistas. Na Europa, as principais praças estão em queda, chegando a desvalorizações de 1%. Lisboa não escapa à tendência, recuando 0,37% num dia negativo para a maioria das cotadas. A EDP Renováveis lidera o movimento.

O Stoxx 600, índice que agrega as maiores empresas do Velho Continente, recua 0,7%, mas há praças, como a da Alemanha, com quedas mais acentuadas. O DAX está a perder 1%, isto num dia marcado por uma queda acentuada dos títulos do setor automóvel em resultado das fracas vendas registadas no mês passado.

Lisboa acompanha o sentimento negativo. A praça portuguesa regista uma desvalorização menos expressiva, mas está no vermelho, com a maioria dos 18 títulos que compõem o PSI-20 a perderem valor. A EDP Renováveis destaca-se nas quedas, recuando 3,06% para os 7,60 euros. Contraria a EDP, que soma 1,1%, enquanto a Galp Energia cede 0,32%.

A pesar na bolsa está também a Sonae que recua 1,08% para 82,35 cêntimos, mas também as empresas do setor da pasta e papel. Nos e BCP registam ambos perdas de 0,65%, contribuindo para a descida do índice nacional.

Pela positiva, além da EDP, nota para a Jerónimo Martins que avança 0,87% para 10,39 euros, mas é a Semapa a cotada que mais se destaca nas subidas. A holding está a ganhar 3,6% para cotar nos 13,80 euros.

(Notícia atualizada às 8h15 com mais informação)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Europa em queda. EDP Renováveis pressiona Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião