Greve dos enfermeiros bate recorde de crowdfunding

  • ECO
  • 14 Dezembro 2018

A campanha contou com 14.415 participantes que fizeram donativos num montante total de 360 mil euros. O objetivo é minimizar as perdas dos enfermeiros que aderem à greve.

A campanha de angariação de fundos para financiar a greve dos enfermeiros foi a que mais dinheiro angariou na história da plataforma de crowdfunding PPL. A campanha contou com 14.415 participantes que fizeram donativos num montante total de 360 mil euros, de acordo com o Jornal de Negócios (acesso condicionado).

Do valor total do dinheiro angariado, a plataforma fica com uma comissão de 7,5% mais IVA e transfere o remanescente para os promotores, que atingiram o objetivo. Há já uma segunda campanha em marcha, que deverá terminar em meados de janeiro, através da qual os enfermeiros pretendem angariar 400 mil euros. Em menos de 48 horas, já conseguiram 24 mil.

O dinheiro será utilizado para compensar os profissionais que aderirem à greve. Os enfermeiros reivindicam a valorização da profissão, a progressão de carreira e a consagração de uma categoria de enfermeiro especialista. O sindicato já indicou que a paralisação pode ser estendida a outros hospitais caso o Governo continue sem dialogar.

Quando termina a campanha, se a meta definida não é atingida a PPL devolve os montantes doados. Na história da plataforma, foi a campanha para um filme escrito por Nuno Markl que ficou em segundo lugar na lista das maiores angariações. Mesmo assim, a diferença para a causa dos enfermeiros foi grande, tendo arrecadado 40.563 euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Greve dos enfermeiros bate recorde de crowdfunding

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião