Indaqua compra 55% do capital da angolana Vista Water à Mota-Engil

Visa Water é uma empresa vocacionada para a consultoria e assistência técnica nas áreas dos serviços de gestão de abastecimento de água e de recolha de águas residuais.

Negócio fechado. O grupo Indaqua adquiriu 55% do capital da angolana Vista Water à construtora Mota-Engil, passando, assim, a deter a totalidade do seu capital. A operação confirma o interesse da empresa num país que apresenta tantos problemas com o acesso à água potável.

“Queremos muito participar e contribuir de forma efetiva para o desenvolvimento de Angola, melhorando os níveis acessibilidade à água potável, num país que apresenta atualmente a segunda taxa mais baixa de cobertura do mundo. Esta aposta reflete exatamente o nosso compromisso com Angola”, afirma Enrique Castiblanques, CEO da Indaqua, em comunicado.

Criada em 2009, a Visa Water é uma empresa vocacionada para a consultoria e assistência técnica nas áreas dos serviços de gestão de abastecimento de água e de recolha de águas residuais. Atualmente, está empenhada, sobretudo, em dois projetos: uma com a Direção Nacional de Água em Sumbe (valor a rondar os 3,5 milhões de dólares) e outro na província do Bié (valor a rondar os seis milhões de dólares), que assegura o abastecimento a mais de 350 mil habitantes.

Das 18 províncias existentes em Angola, a Vista Water teve ou tem desenvolvido projetos em 11 províncias. “É o conhecimento especializado e a profunda experiência que temos no setor da água em Portugal e Angola que, claramente, está a sustentar a nossa expansão internacional e esta aquisição só é possível graças a esses recursos”, acrescenta o CEO da empresa.

Recorde-se ainda que a Indaqua foi, recentemente, distinguida com seis galardões nos Prémios ERSAR, onde as suas concessões foram reconhecidas pela qualidade do serviço, eficiência e excelência no serviço de abastecimento público de Água em Portugal.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Indaqua compra 55% do capital da angolana Vista Water à Mota-Engil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião