Câmara de Lisboa lança concurso para 38 casas com rendas entre 126 e 401 euros

  • Lusa
  • 19 Dezembro 2018

O Programa "Re-habitar Lisboa" está de regresso. A Câmara Municipal tem mais 38 casas para levar a concurso, com rendas mensais entre 126 e 401 euros.

A Câmara de Lisboa abre esta quarta-feira uma nova bolsa ao abrigo do Programa Renda Convencionada, que vai contar com 38 casas com rendas entre os 126 e os 401 euros, disse à agência Lusa fonte do município.

“A Câmara Municipal de Lisboa vai abrir esta quarta-feira, dia 19, mais um concurso para fogos com renda acessível. São 38 casas com valores de arrendamento entre os 126 e os 401 euros, disponibilizadas em diversos pontos da cidade”, refere a nota enviada à Lusa.

A 20.ª bolsa aberta ao abrigo deste programa inclui habitações com tipologias entre T1 e T3, nas freguesias de Ajuda, Alvalade, Beato, Campo de Ourique, Marvila, Olivais, Parque das Nações, Santa Maria Maior, São Domingos de Benfica e São Vicente.

As candidaturas para estas casas estão abertas até dia 15 de janeiro e os interessados poderão obter informações através do seguinte site: www.rehabitarlisboa.cm-lisboa.pt. Este concurso vem “no seguimento de mais uma fase de obras de requalificação de imóveis, já terminadas ou em curso, tanto em património disperso como em bairros municipais”, é explicado.

Desde que entrou em vigor, em 2013, o Programa Renda Convencionada “já afetou mais de 350 fogos nas diversas bolsas lançadas, envolvendo a sucessiva reabilitação de edificado em toda a cidade”, aponta a fonte camarária. A 19.ª edição do decorreu no mês de outubro. Na altura, foram colocadas ao abrigo deste programa 21 habituações municipais com tipologias entre T0 e T3, e rendas entre 150 e 500 euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Câmara de Lisboa lança concurso para 38 casas com rendas entre 126 e 401 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião