Mercedes-Benz.io quer mais engenheiros em Portugal. Tem 50 para preencher este ano

A Mercedes quer continuar a reforçar a equipa tecnológica no mercado nacional. Já conta com 90 engenheiros, mas pretende chegar ao final deste ano com um total de 140.

A Mercedes-Benz.io elegeu Portugal para instalar o primeiro centro mundial de competências a nível digital. Foi em 2017 que avançou com a criação deste hub, tendo vindo a reforçá-lo desde então. Mas a fabricante alemã quer mais. Pretende reforçar a equipa para um total de 140 profissionais ainda este ano, que vão trabalhar, entre outros, na plataforma de e-commerce da marca a nível mundial.

“Já contratámos mais de 90 pessoas e o objetivo é acabar 2019 com mais de 140 pessoas”, refere fonte oficial da Mercedes Portugal, em resposta às questões colocadas pelo ECO. Ou seja, ao longo deste ano, a divisão tecnológica da fabricante de automóveis alemã pretende atrair mais 50 engenheiros.

Essa vontade é bem visível através do site da empresa, nomeadamente no que respeita às ofertas de emprego disponíveis para Lisboa. Há duas dezenas de ofertas, muitas delas para programação. Entre as missões dos engenheiros que forem contratados está o desenvolvimento da plataforma de vendas online da marca.

"Já contratámos mais de 90 pessoas e o objetivo é acabar 2019 com mais de 140 pessoas.”

Fonte oficial da Mercedes Portugal

“Temos pessoas a desenvolver a plataforma de e-commerce da Mercedes a nível mundial. Não está a ser desenvolvida totalmente cá” mas o hub português, que vai instalar-se no Hub Criativo do Beato, também contribui para esta solução tecnológica que chegará a muitos dos mercados em que a fabricante está presente.

“A plataforma não é um projeto, mas um produto. O que significa que nunca estará pronta mas em desenvolvimento constante à medida que o mercado muda“, explica fonte oficial da marca. “Estamos a desenvolver diferentes funcionalidades e começar a fazer roll-outs para diferentes mercados”, salienta.

Além disso, em Lisboa estão também a ser desenvolvidas tecnologias para a condução autónoma, bem como criadas aplicações ligadas aos automóveis da marca alemã. Daí que entre as ofertas de emprego se encontrem também vagas para especialistas no desenvolvimento de software para Android, da Google, e iOs, da Apple.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mercedes-Benz.io quer mais engenheiros em Portugal. Tem 50 para preencher este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião