CGD contrata Vieira de Almeida para analisar ações contra ex-gestores

  • ECO
  • 25 Janeiro 2019

A sociedade de advogados Vieira de Almeida vai analisar eventuais ações de responsabilidade social contra os ex-administradores. O relatório deverá ser entregue até ao verão.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) contratou a sociedade de advogados Vieira de Almeida, no último trimestre do ano passado, para analisar possíveis ações de responsabilidade civil contra ex-gestores do período entre 2000 e 2005. A avaliação relativa à responsabilidade jurídica já arrancou, e o relatório deverá ser entregue até ao verão, avança o Jornal Económico [acesso condicionado].

Os principais problemas apontados pela EY numa versão preliminar da auditoria à CGD, datada de dezembro de 2017, são a concessão de créditos mal fundamentada, a atribuição de bónus aos gestores com resultados negativos, a interferência do Estado e ineficiências na gestão de risco.

Dos gestores referidos na auditoria, que ocupavam cargos de topo durante o período analisado, em que foram tomadas decisões de crédito que originaram perdas de 1,2 mil milhões, há pelo menos 17 que continuam ligados à banca, de acordo com um levantamento da Lusa. Alguns mantém-se na CGD, como é o caso de José Lourenço Soares e Maria João Carioca.

Entre os executivos que transitaram para outros bancos encontra-se Vítor Manuel Lopes Fernandes, que é agora vogal do Novo Banco, António Tomás Correia, que recentemente venceu as eleições para continuar à frente da Associação Mutualista Montepio, e Carlos Costa, atualmente governador do Banco de Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CGD contrata Vieira de Almeida para analisar ações contra ex-gestores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião