EDP Renováveis produziu mais energia. Mais de metade foi nos EUA

  • Lusa
  • 29 Janeiro 2019

A EDP Renováveis (EDPR) produziu 28,4 Terawatts-hora (TWh) de energia renovável em 2018, o equivalente a uma subida anual de 3%, anunciou a empresa.

A EDP Renováveis (EDPR) produziu 28,4 Terawatts-hora (TWh) de energia renovável em 2018, o equivalente a uma subida anual de 3%, anunciou a empresa esta terça-feira.

“A EDPR produziu 28,4 TWh de energia renovável em 2018, traduzindo-se num incremento anual de 3%”, lê-se no Relatório de Produção e Capacidade remetido à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a empresa liderada por Manso Neto, o aumento da produção “beneficiou das adições de capacidade ao longo dos últimos 12 meses (+0,7 gigawatts), apesar de um fator de utilização inferior ao período homólogo (30% vs 31% em 2017)”.

No ano em causa, as operações da EDPR na Europa, América do Norte e Brasil geraram, respetivamente, 40%, 55% e 4% do total da produção.

Na Europa, a geração diminuiu 2%, em comparação com 2017, para 11,5 TWh, “impactada pelo menor recurso eólico do terceiro trimestre de 2018”.

Por sua vez, na América do Norte a produção aumentou 4% face ao ano anterior, totalizando 15,6 TWh, refletindo “o crescimento da capacidade instalada e o maior fator de utilização dos novos projetos”.

Já no Brasil, a produção registou uma subida homóloga de 43% para 1,2 TWh, “beneficiando das adições de capacidade, com fatores de utilização superiores, apesar do menor recurso eólico no período”.

A EDPR atingiu na Europa um fator de utilização de 26%, o equivalente a uma queda homóloga de um ponto percentual, “com a comparação anual impactada pelo menor recurso eólico em Espanha e no resto da Europa”.

Em Espanha, a empresa registou um fator de utilização de 26%, menos um ponto percentual face a 2017, mas superior à média do mercado (dois pontos percentuais).

Já em Portugal, registou um fator de utilização estável em 27% e, no resto da Europa, atingiu 24%, que compara com os 27% alcançados em 2017.

Na América do Norte, o fator de utilização foi 34% (menos um ponto percentual face a 2017) e, no Brasil, obteve 40%, uma redução homóloga de 3%, “em linha com as expectativas para 2018, com a comparação anual a ser impactada pelo recurso eólico excecional em 2017”.

Em dezembro de 2018, a empresa geria um portfólio de 11,7 gigawwats (GW) em 11 países, dos quais 5,4 GW na Europa, 5,8 GW na América do Norte e 0,5 GW no Brasil.

No ano de referência, a EDPR construiu 826 Megawatts (MW), dos quais 478 MW na América do Norte, 211 MW na Europa e 137 MW no Brasil.

A EDP controla 83% do capital social da EDPR, que tem a sua sede em Madrid.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP Renováveis produziu mais energia. Mais de metade foi nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião