Desemprego em Espanha tem a maior subida em cinco anos

  • Lusa
  • 4 Fevereiro 2019

Depois do Natal, o número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego espanhóis aumentou em 83.464 pessoas em janeiro.

O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego espanhóis aumentou em 83.464 pessoas em janeiro, alcançando um total de 3.285,761, a maior subida mensal desde 2014.

Segundo os dados publicados em Madrid pelo Ministério do Trabalho, Migrações e Segurança Social de Espanha, o número de desempregados diminuiu em 190.767 pessoas quando comparado com o de há um ano atrás.

O setor dos serviços foi o principal responsável pelo aumento em janeiro do desemprego (mais 85.584), que apenas se reduziu no setor da construção e entre as pessoas sem emprego anteriormente.

Por outro lado, o número médio de inscritos nos serviços de Segurança Social espanhóis em janeiro era de 18.819.300 pessoas ocupadas, tendo registado uma descida mensal de 204.865 pessoas, o maior número desde 2013.

De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, Migrações e Segurança Social, a descida de inscritos de janeiro corresponde a um comportamento habitual, que reflete o impacto do fim da campanha da Natal, com uma maior descida nos setores do comércio e da hotelaria.

Comparando com janeiro de 2018, o número médio de inscritos subiu em 537.269 pessoas (mais 2,94%), para 18,81 milhões de pessoas, o maior número de ocupados desde 2008.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Desemprego em Espanha tem a maior subida em cinco anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião