Portugal já produz mais carros a gasolina que a gasóleo

  • ECO
  • 5 Fevereiro 2019

Com a mudança de apetite dos consumidores europeus, a produção de automóveis em Portugal está a mudar. Pela primeira vez desde 1995, saíram das fábricas mais carros a gasolina que a gasóleo.

Gasolina ou gasóleo? Dos 294.470 automóveis, ligeiros e pesados, fabricados no ano passado em Portugal, mais de metade foi equipado com motores a gasolina. É a primeira vez desde 1995 que a gasolina bate o diesel, sendo esta evolução explicada pelo crescente apetite dos consumidores europeus.

De acordo com dados da Associação Comércio Automóvel de Portugal (ACAP), cedidos ao Dinheiro Vivo, saíram das linhas de montagem nacionais 148.293 automóveis com motor a gasolina. São o equivalente a 50,4% da produção total no mercado português, sendo os restantes a diesel, com exceção de 104 veículos elétricos.

Hélder Pedro, secretário-geral da ACAP explica esta mudança com a produção para o estrangeiro. “Como praticamente toda a produção automóvel vai parar ao estrangeiro, nota-se mais a mudança de preferência dos consumidores dos carros a gasóleo para os modelos a gasolina”, diz.

O Dinheiro Vivo acrescenta que a mudança na produção é mais expressiva quando se olha apenas para os veículos que saíram da Autoeuropa. Dos 234.151 automóveis ligeiros montados no ano passado em Palmela, 63,3% (148.095) tinham um motor a gasolina, a percentagem mais elevada desde 1995 — desde 2009 que saem de Palmela mais carros a gasolina que a gasóleo.

A “mudança do modelo de produção na Autoeuropa, com a produção do utilitário desportivo T-Roc, justifica o crescimento dos motores a gasolina”, acrescenta o secretário-geral da ACAP.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal já produz mais carros a gasolina que a gasóleo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião