Praça de Espanha vai ficar mais verde. Veja o que muda

O Parque Urbano da Praça de Espanha vai nascer em 2020 com cinco hectares e vai ligar a Praça de Espanha e a Fundação Gulbenkian através de uma ponte pedonal.

O Parque Urbano da Praça de Espanha, em Lisboa, deverá estar concluído em 2020, pelo menos é essa a vontade da Câmara de Lisboa (CML). Com acesso direto aos jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, o futuro espaço verde dos lisboetas contribuirá para uma “cidade mais verde e sustentável”, nas palavras de Fernando Medina, durante a apresentação da proposta vencedora do concurso público internacional, esta segunda-feira.

“Nós contamos que as obras estejam concluídas no próximo ano, em 2020, iniciando-se já este ano na rede viária, depois no parque verde, e nessa altura estará concluída aquilo que é verdadeiramente uma marca da Lisboa do futuro, uma cidade mais verde, mais sustentável, com mais espaço público e com mais ciclovias“, disse o presidente da CML.

O Parque Urbano da Praça de Espanha, com cerca de cinco hectares e “de tamanho semelhante ao Jardim da Estrela”, vai contar, assim, com mais de 600 árvores plantadas, zonas de “clareiras de fruição”, parques infantis, esplanadas, quiosques, e onde a água será um “elemento central”, descreveu Medina, durante o evento que decorreu na Gulbenkian.

Em termos de acessibilidades, o parque vai ter uma “ponte pedonal” que fará a ligação entre a Praça de Espanha e a Fundação Gulbenkian, revolucionando uma “zona hoje inacessível às pessoas”, referiu Medina.

No que diz respeito à circulação rodoviária, o presidente da CML explicou que haverá uma ligação direta da Avenida de Berna à Avenida Calouste Gulbenkian. Uma melhoria direcionada a “quem pretender sair da cidade de Lisboa, em direção a Monsanto ou à ponte”, porque “vai direto e escusa de circundar toda a Praça de Espanha”.

“Também para quem quer fazer a ligação entre a Avenida dos Combatentes e a Avenida António Augusto Aguiar [ela] será direta nos dois sentidos. Isto é, quem pretende entrar na cidade de Lisboa via norte, descendo a Avenida dos Combatentes, prosseguirá em frente naturalmente para a Avenida António augusto Aguiar”, completou.

Durante o evento, Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, referiu ainda que em breve será lançado um “concurso de ideias para a extensão do Parque Gulbenkian para o seu vértice sul”, um projeto que deverá estar concluído “pouco tempo depois do Parque Urbano da Praça de Espanha”.

Comentários ({{ total }})

Praça de Espanha vai ficar mais verde. Veja o que muda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião