Corrida ao elétrico da Porsche. 250 portugueses já passaram o cheque para o Taycan

Ainda agora começou a ser produzido, só chega mais perto do final do ano, mas são já muitos os portugueses que querem o elétrico da marca de Estugarda. Deram sinal para um desportivo de 120 mil euros.

Começou por chamar-se Mission E. Com o passar do tempo, o protótipo passou à produção, mudando de nome. O Taycan será o primeiro automóvel totalmente elétrico da Porsche, marca reconhecida pelos seus potentes motores a gasolina. Ainda não chegou às estradas, mas já conta com muitos pretendentes por terra lusas. 250 portugueses já passaram o cheque para comprarem este desportivo cheio de potência, mas sem emissões poluentes.

A Porsche abandonou o diesel no ano passado, passando a disponibilizar apenas modelos a gasolina ou híbridos, como acontece no caso do Panamera e do Cayenne. Apesar disso, e contrariando as expectativas da marca, as vendas em Portugal até subiram. E há margem para continuarem a aumentar com a chegada do primeiro modelo totalmente elétrico da fabricante de Estugarda. “Temos já 250 pedidos, com sinal pago, para o Taycan, revelou Nuno do Carmo Costa, responsável pela comunicação da Porsche Ibérica em Portugal.

Nem todos os Taycan sairão dos stands da marca este ano, contribuindo para os números de 2019. “Contamos entregar os primeiros 100” ainda este ano, acrescentou Nuno Costa. Em 2020 deverão ser entregues os restantes pedidos já sinalizados, estando a lista de compradores a engrossar a cada dia que passa, apesar do preço a rondar os 120 mil euros. E é só para o desportivo de cinco portas, sendo que a este vai juntar-se, no próximo ano, uma outra versão também ela totalmente elétrica, o Taycan Cross Turismo.

O Taycan, que terá uma produção anual a rondar as 20 mil unidades, para satisfazer clientes em todo o mundo, contará com dois propulsores elétricos completamente sincronizados que, juntos, vão produzir uma potência de 608 cv. Toda esta potência acabará por permitir uma velocidade máxima acima dos 250 km/h, mas mais impressionante será a facilidade com que chegará a esses valores. A marca anuncia 3,5 segundos dos 0 aos 100 km/h e 12 segundos dos 0 aos 200 km/h.

Toda esta potência, se utilizada sempre ao máximo, acabará rapidamente com a diversão de quem conduzir o Taycan. Mas com uma condução mais regrada, será possível obter uma autonomia a rondar os 500 quilómetros, um número em linha com o que é apresentado pela Tesla, de Elon Musk. Aliás, o Taycan é visto como um anti-Tesla da fabricante germânica. Recarregar as baterias a 80% da capacidade será possível com um carregamento também ele rápido: bastam 15 minutos, diz a Porsche.

Comentários ({{ total }})

Corrida ao elétrico da Porsche. 250 portugueses já passaram o cheque para o Taycan

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião