Prazos de pagamento? Apenas 14,2% das empresas portuguesas cumprem

  • ECO
  • 14 Fevereiro 2019

O fenómeno é transversal a todas as regiões do país e a todos os setores de atividade, diz barómetro da Informa D&B que se refere ao primeiro mês do ano.

Apenas 14,2% das empresas portuguesas cumpriam em final de janeiro os prazos de pagamento acordados com fornecedores, refere o Barómetro de Pagamentos elaborado pela Informa D&B, divulgado esta quinta-feira.

“Este fenómeno é transversal a todas as regiões do país e a todos os setores de atividade”, assegura a Informa D&B, lembrando também que o registo observado no final de janeiro deste ano “está em queda desde setembro de 2017”, sendo que em dezembro do ano passado apresentou o valor mais baixo desde 2007.

Entre as empresas que não cumprem os prazos de pagamentos, 66,5% fazem-no com um atraso até 30 dias e 7,4% atrasam-se mais de 90 dias.

A média de atrasos nos pagamentos face aos prazos acordados foi, em janeiro, de 26,5 dias e, nos últimos 12 meses concluídos em janeiro, o valor médio mais baixo observado em termos de atraso nos pagamentos registou-se no final de setembro do ano passado (25,3 dias).

Em fevereiro de 2018, a média de atrasos nos pagamentos das empresas situou-se nos 26 dias e o valor máximo dos últimos doze meses observou-se no final de março do ano passado (26,6 dias).

Entre os setores mais cumpridores estão as telecomunicações com 16,6%, seguindo-se o grossista com 16,3% e o retalho com 16,1%, enquanto ao nível dos menos cumpridores surgem o alojamento e restauração (9,5%) e os transportes (6,3%).

Na comparação com Espanha – que é o principal parceiro português no comércio bilateral e que é o país estrangeiro com mais empresas, pois tem o controlo de capital de 2.040 empresas portuguesas, mais de um quarto de todas as empresas nacionais com controlo de capital estrangeiro -, no final de 2017, 56,5% das empresas no país vizinho cumpriam os prazos de pagamento acordados com os seus fornecedores.

Trata-se de um registo mais positivo do que a média europeia nesse ano (41,7%) e que representa mais do que o quádruplo de Portugal (16,1%).

Tal como em Portugal, quanto menor é a dimensão das empresas melhores são os prazos de pagamento, apesar das grandes diferenças entre as respetivas percentagens em cada escalão (microempresas, pequenas empresas, médias empresas e grandes empresas) em Portugal e Espanha.

A agricultura, pecuária, pesca e caça e o retalho são os setores mais cumpridores em Espanha, registando, respetivamente, 63,6% e 62% de empresas a pagar pontualmente aos fornecedores.

Tal como em Portugal, o setor dos transportes é também o que se atrasa mais em Espanha, com 45,4% das empresas a falhar os prazos de pagamento.

O setor em Espanha com mais empresas a pagar com atrasos superiores a 90 dias é o dos serviços financeiros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Prazos de pagamento? Apenas 14,2% das empresas portuguesas cumprem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião