“Completamente irresponsável”. Varandas ataca gestão de Bruno Carvalho

Auditoria financeira ao período em que Bruno de Carvalho foi presidente revelou uma dívida a fornecedores de mais de 40 milhões de euros.

A atual administração do Sporting herdou uma dívida a fornecedores de mais de 40 milhões de euros, e acusa a gestão que foi feita em 2018 de ter sido “completamente irresponsável”. A maior parte da dívida dizia respeito ao pagamento de metade do plantel profissional do clube dos leões.

“Quando tomámos posse encontrámos um clube numa situação de tesouraria muitíssimo difícil“, revela Francisco Salgado Zenha, administrador da SAD do Sporting com o pelouro financeiro, em conferência de imprensa, na apresentação da auditoria financeira ao período em que Bruno de Carvalho foi presidente. Para além da tarefa de “fazer o revolving da emissão de empréstimo obrigacionista“, a SAD herdou uma dívida, até junho de 2019, de mais de 40 milhões de euros, indicou.

A maioria da dívida era para com clubes e agentes dos jogadores profissionais, ou seja tiveram que “pagar este ano metade do plantel do Sporting“, numa dívida que inclui pagamentos a jogadores como Acuña, Coentrão, Battaglia e Piccini, explica Salgado Zenha. “Nada disto estava pago”, acusa o administrador.

“A gestão que foi feita em 2018 foi completamente irresponsável”, critica. Mesmo assim, Salgado Zenha garante que têm “um plano financeiro feito, que vai permitir o Sporting ser sustentável a muitíssimo longo prazo“. Quanto à contratação de novos jogadores, o administrador explica que fizeram “uma redução significativa da massa salarial dos jogadores de futebol profissional”, e o que pouparam aí permitiu cobrir os salários e transferências.

Comentários ({{ total }})

“Completamente irresponsável”. Varandas ataca gestão de Bruno Carvalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião