Elon Musk nas malhas da SEC. Regulador quer acusar dono da Tesla de desrespeito

O CEO da Tesla não cumpriu o acordo alcançado com o regulador do mercado norte-americano. Revelou, no Twitter, que a Tesla quer produzir 500 mil carros este ano.

Elon Musk está novamente envolvido em polémicas. A Securities and Exchange Commission (SEC) pediu ao tribunal para acusar o CEO da Tesla de desrespeito, depois de este ter divulgado informações relevantes sobre a Tesla em tweets que publicou na sua rede social, violando uma ordem judicial, avança a Reuters (conteúdo em inglês).

De acordo com a SEC, Elon Musk não cumpriu o acordo alcançado no ano passado, que o proibia a divulgação de informações confidenciais.

Em agosto, o CEO disse que pretendia retirar a empresa da bolsa, declaração feita nas redes sociais que levou à abertura de um processo por parte do regulador do mercado norte-americano. A SEC acabou por exigir a sua demissão como chairman.

Essa situação foi resolvida através de um acordo que definia que qualquer declaração feita por Musk nas redes sociais teria de ser analisada antecipadamente pela Tesla.

Agora, Musk publicou no Twitter uma imagem em que anunciava o envio de 4.000 Teslas para a Europa. Este tweet foi publicado a 20 de fevereiro, sendo que em resposta a essa mesma publicação, acabou por violar o acordo.

“A Tesla fabricou zero carros em 2011, mas fabricará cerca de 500 mil em 2019”, escreveu o CEO da fabricante, num tweet.

“Elon Musk não procurou nem recebeu pré-aprovação para publicar este tweet, que era inexato e foi disseminado a mais de 24 milhões de pessoas”, escreveu a SEC no pedido que entregou esta segunda-feira no tribunal de Manhattan, citado pela Reuters.

O regulador pede ainda que seja emitida uma ordem que obrigue Musk a explicar porque não cumpriu o acordo que tinha sido estipulado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Elon Musk nas malhas da SEC. Regulador quer acusar dono da Tesla de desrespeito

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião