“Eu não respeito a SEC”, diz Elon Musk após multa de 20 milhões de dólares

Elon Musk diz que não respeita a SEC, a autoridade que o multou em 20 milhões de dólares por causa de um tweet. Reportagem mostra ainda como a Tesla criou uma linha de montagem do Model 3 numa tenda.

Um mês depois de ser multado em 20 milhões de dólares por ter dado informações falsas aos investidores, Elon Musk ainda tem uma palavra a dar ao supervisor norte-americano dos mercados de capitais. “Eu quero ser claro: não respeito a SEC” (a congénere da CMVM nos EUA), disse o presidente executivo de empresas como a Tesla TSLA 0,00% e a SpaceX.

O polémico gestor volta a causar polémica, devido à postura pouco ortodoxa e às declarações ousadas numa entrevista exclusiva ao 60 Minutes, da CBS News, pouco depois de concluído um processo que o obrigou a pagar 20 milhões de euros e que condenou ainda a Tesla a um pagamento no mesmo valor. Depois de ter publicado no Twitter que tinha assegurado o capital para retirar a fabricante automóvel da bolsa, informação que se revelou falsa, Elon Musk foi ainda obrigado a abdicar do cargo de chairman da empresa.

Na entrevista, transmitida este domingo, Lesley Stahl pergunta ao gestor se, ainda assim, está a cumprir o acordo fechado com a SEC ao abrigo deste processo. Musk responde que sim, mas apenas por “respeito ao sistema judicial”. Garantiu ainda que, mesmo depois da acusação da SEC, ninguém na Tesla verifica os tweets que escreve antes de serem publicados, por uma questão de “liberdade de expressão”.

Sobre a possibilidade de voltar a publicar um tweet que se revele prejudicial para a empresa, o presidente executivo da Tesla acrescentou que “qualquer pessoa está sujeita ao erro”. Desconsiderou ainda as informações de que a nova chairwoman da empresa, a australiana Robyn Denholm, foi posta no cargo com a missão de supervisionar e conter o comportamento de Elon Musk.

A reportagem exclusiva do 60 Minutes no universo da Tesla revela também que a marca criou uma nova linha de produção do Model 3 no interior de uma tenda montada no parque de estacionamento da empresa, o que permitiu à fabricante aumentar a produção em 50%, de acordo com a CBS News. O Model 3 deverá chegar a Portugal em fevereiro.

Outro dos pontos quentes abordados no 60 Minutes foi as alegadas más condições de trabalho nas fábricas da empresa. As acusações foram totalmente rejeitadas pelo gestor, que argumentou que, na altura a que dizem respeito, ele próprio “vivia” na fábrica.

Elon Musk é conhecido pelos extensos horários de trabalho durante a semana e por estabelecer prazos apertados que, muitas vezes, se revelaram irrealistas. Mas, a par das polémicas e dos escândalos em que se vê envolvido, criou várias empresas que desafiaram os limites da tecnologia moderna.

Evolução das ações da Tesla em Wall Street

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Eu não respeito a SEC”, diz Elon Musk após multa de 20 milhões de dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião