Fortuna dos multimilionários encolheu. Jeff Bezos é o mais rico do mundo

Em dez anos, 2019 foi o segundo ano em que o número de multimilionários diminuiu, bem como as suas fortunas. Jeff Bezos resistiu ao contexto económico e está no primeiro lugar do pódio.

Na lista dos mais ricos do mundo, é sempre a somar. Mas, este ano, as fortunas dos multimilionários encolheram. Em dez anos, este foi o segundo ano em que as fortunas diminuíram, tal como o número de multimilionários, provando que nem mesmos os mais ricos estão imunes ao contexto económico.

De acordo com a lista “Billionaires 2019” elaborada pela Forbes (acesso livre), atualmente há 2.153 multimilionários do mundo, menos 55 do que no ano passado. Cerca de 46% dos “resistentes” está, agora, mais pobre, comparativamente ao ano anterior. Somando o património de todos, encontra-se um produto total de 8,7 biliões de dólares, o que representa um decréscimo de 400 mil milhões de dólares face a 2018.

Mesmo assim, há quem persista aos ventos contrários. Jeff Bezos, fundador e CEO Amazon, é, mais uma vez, o homem que lidera a lista dos mais ricos, com uma fortuna avaliada em 131 mil milhões de dólares. Só nos últimos 12 meses, o empresário de 55 anos e a sua família faturaram 19 milhões de dólares.

Jeff Bezos, além da posição na Amazon (que acaba por ser a sua galinha dos ovos de ouro), é, ainda, dono do jornal norte-americano The Washington Post e da empresa aeroespacial Blue Origin, que está a desenvolver um foguetão para voos comerciais.

Segue-se, no segundo lugar do pódio, Bill Gates, fundador da Microsoft, que tem uma fortuna de 96,5 mil milhões de dólares e o investidor Warren Buffet, com 82,5 mil dólares. Ambos já foram considerados os mais ricos, Bill Gates inúmeras vezes (sendo que te 2014 a 2017 foi consecutivamente o homem mais rico do mundo) e Warren Buffet em 2008.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Fortuna dos multimilionários encolheu. Jeff Bezos é o mais rico do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião