Cheques para carros elétricos voam. Mais de metade já foram

Já foram recebidas mais de 600 candidaturas para o apoio relativo à compra de automóveis totalmente elétricos. Só há mil "cheques" para carros.

Não vai haver “cheques” para todos. Está a haver uma corrida ao apoio à compra de automóveis elétricos, de tal forma que menos de duas semanas depois da publicação do regulamento para a atribuição do incentivo pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões já foram prometidos mais de metade dos “cheques”.

O Governo até reforçou o apoio a atribuir este ano para quem pretende adquirir um veículo 100% elétrico, mas o reforço foi exclusivamente em termos de valor. Dos 2.250 euros, passou a passar “cheques” de 3.000 euros, tendo o teto máximo a entregar pelo Fundo Ambiental passado dos 2,25 para os três milhões de euros.

Na prática, continuam a existir apenas mil destes “cheques”. Esse era o número disponível quando foram disponibilizados os formulários para solicitar este apoio, nos primeiros dias de março. O regulamento foi publicado em Diário da República no dia de Carnaval, sendo que há já mais de 600 pedidos.

De acordo com dados do Fundo Ambiental, foram já recebidas 601 candidaturas para o apoio relativo à compra de automóveis totalmente elétricos, número que perfaz um valor total de 1,8 milhões de euros (60,1% do total). Estas candidaturas não contam já com as duas que foram excluídas por esta entidade.

Total de pedidos recebidos pelo Fundo Ambiental

Fonte: Fundo Ambiental

Recorde-se que no caso dos automóveis, o apoio está limitado a um por cada contribuinte, sendo que no caso das pessoas coletivas o apoio é limitado a quatro candidaturas. Neste caso, contudo, o valor baixa dos 3.000 para os 2.250 euros.

O ritmo de entrada dos pedidos está a ser galopante, substancialmente superior ao registado no ano passado, período em que foram contabilizados 1.170 pedidos para este apoio. A explicar está a forte procura por estes veículos 100% elétricos que, de acordo com dados da ACAP, viram as vendas dispararem mais de 150% nos primeiros dois meses do ano. Foram matriculados mais de mil em janeiro e fevereiro.

Muitas bicicletas, poucas motas

O Fundo Ambiental é também responsável pela atribuição dos “cheques” para a compra de motas elétricas, mas também de bicicletas que recorrem às baterias. Enquanto no caso dos motociclos a adesão está a ser reduzida, no caso das bicicletas os pedidos começam a acelerar.

Para a compra de motas foram atribuídos, no ano passado, um total de 16.396 euros, sendo que este ano o saldo vai em 2.400 euros, assumindo o apoio máximo de 400 euros — no caso das motas o “cheque” representa 20% do valor pago, com um máximo de 400 euros.

As bicicletas são uma novidade este ano, mas está a ser bem recebida. Os dados do Fundo Ambiental revelam que foram já apresentados pedidos de apoio para a compra de 152 bicicletas. Há mil “cheques”.

“O incentivo pela introdução no consumo de bicicletas elétricas é traduzido na forma de atribuição de unidades de incentivo no valor de 250 euros, devido pela introdução no consumo de uma bicicleta elétrica nova”, diz o Fundo Ambiental, lembrando que é apenas aceite um pedido por contribuinte.

Comentários ({{ total }})

Cheques para carros elétricos voam. Mais de metade já foram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião