Deputados britânicos só se entendem na rejeição de alternativas para Brexit

Foram a votos no Parlamento britânico oito propostas com alternativas para o Brexit, com o objetivo de perceber se alguma alcançava consenso. Nenhuma conquistou maioria favorável.

O Parlamento britânico ainda não chegou a acordo sobre qual será o melhor caminho para a saída do Reino Unido da União Europeia. Foram a votos nesta quarta-feira oito moções, cada uma determinando uma proposta alternativa ao Brexit de Theresa May, mas nenhuma delas conquistou uma maioria favorável. Estas propostas eram apenas indicativas, e serviam para tentar chegar a um consenso.

A moção que foi mais renhida foi a que propunha avançar para o Brexit, mas só depois de garantida uma união aduaneira com a UE. Segundo o The Guardian, esta proposta, do deputado conservador Ken Clarke, conquistou 264 votos a favor, e 272 votos contra. A realização de um segundo referendo, para verificar se os britânicos aceitavam um Brexit com o acordo de May, também chegou perto de uma maioria, mas no final acabou por ter mais votos contra.

a proposta que determinava a saída a 12 de abril sem acordo foi rejeitada pela esmagadora maioria, com 400 deputados a votar contra. A moção apresentada pelo conservador que se demitiu de ministro da Agricultura este mês, que sugeria a manutenção do Reino Unido na zona económica europeia apesar de manter o Brexit, também foi recusada, por 377 deputados.

Apesar de o caminho ainda não ser claro, o Parlamento britânico já aprovou a alteração das datas de saída. O Conselho Europeu determinou que, se os deputados britânicos aprovarem o acordo que Theresa May firmou com Bruxelas, o Brexit realiza-se a 22 de maio. Caso o acordo não for aprovado, o Reino Unido tem até 12 de abril para decidir o que fazer.

Ainda esta semana deverá ir a votos o documento que já foi chumbado pelos deputados britânicos duas vezes. Theresa May indicou ao seu partido que se o acordo for finalmente aprovado, irá apresentar a demissão. “Sei que há um desejo por uma nova abordagem e nova liderança na segunda fase das negociações do Brexit. Não vou ser um obstáculo nesse caminho“, disse a primeira-ministra.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Deputados britânicos só se entendem na rejeição de alternativas para Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião