Portugal capta mais 33 milhões da UE para a ciência. Foram 174 milhões em 2018

  • Lusa
  • 2 Abril 2019

O financiamento europeu obtido por instituições científicas portuguesas "atingiu um novo máximo" de 174 milhões de euros, mais 30 milhões de euros do que os valores captados desde 2014.

Portugal captou mais 33 milhões de euros do programa europeu de apoio à investigação científica e inovação Horizonte 2020, arrecadando 174 milhões de euros dos concursos lançados em 2018, anunciou esta terça-feira o Ministério da Ciência em comunicado.

Segundo o ministério, o total de financiamento europeu obtido por instituições científicas portuguesas em concursos abertos no ano passado “atinge um novo máximo”, de 174 milhões de euros, ultrapassando em cerca de 30 milhões de euros “os valores captados” desde 2014, primeiro ano de vigência do Horizonte 2020.

Os últimos resultados dos concursos de 2018 foram anunciados esta terça-feira em Bruxelas, na Bélgica, e incluem 11 projetos financiados em 33 milhões de euros e coordenados por investigadores de instituições científicas nacionais, adianta a mesma nota.

Para o Ministério da Ciência, os resultados “reforçam a ambição de Portugal de duplicar a sua participação no próximo programa-quadro europeu de investigação e inovação”, o Horizonte Europa (2021-2027), que propõe uma dotação de cerca de 100 mil milhões de euros.

O antecessor do Horizonte Europa, o programa Horizonte 2020 (2014-2020), no montante de cerca de 80 mil milhões de euros, é gerido pelo comissário português Carlos Moedas, que tem as pastas da investigação e inovação na Comissão Europeia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal capta mais 33 milhões da UE para a ciência. Foram 174 milhões em 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião