Prio e Galp reforçam carregamentos de camiões cisterna

No rescaldo da greve dos motoristas de matérias perigosas, que dificultou o abastecimento de combustível por todo o país, algumas empresas vão reforçar a operação para normalizar a situação.

A greve dos motoristas de matérias perigosas chegou ao fim. Esta paralisação levou a uma corrida às bombas, o que deixou alguns postos secos. Agora, para contribuir para a normalização da situação, a Prio e a Galp vão reforçar os carregamentos dos camiões cisterna, para fazer chegar combustível a vários locais no país mais rapidamente.

“O terminal de tanques da Prio, em Aveiro, irá estar aberto 24h por dia até às 12h de domingo, a carregar o maior número possível de camiões cisterna, que depois levarão combustível aos mais diferentes pontos de Portugal”, indica a distribuidora, em comunicado. Com esta operação, a empresa “poderá assim abastecer 16 camiões cisterna por hora, o que equivale a 500 mil litros”.

Para além disto, a empresa está também a “mobilizar o maior número de camiões e motoristas possíveis para poder restaurar a normalidade de abastecimento o quanto antes e irá manter o público informado sobre todos os postos que reabastecer, que serão prioritariamente os incluídos na rede estratégica definida pelo Governo“, acrescentam.

A petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva também tem planos para contribuir para a normalização da situação. O ECO sabe que a Galp irá fazer um reforço das operações, de forma a acelerar o mais possível a reposição do combustível nas bombas. Este esforço significa que, na Galp, vão trabalhar mais horas para encher mais camiões cisterna.

Comentários ({{ total }})

Prio e Galp reforçam carregamentos de camiões cisterna

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião