Falta de pessoal provoca atrasos nos reembolsos da ADSE

  • ECO
  • 28 Abril 2019

A ADSE está a demorar, em muitos casos, não os dois meses previstos para reembolsar os seus beneficiários, mas seis meses. O instituto justifica a situação com a falta de pessoal.

As queixas por atrasos no pagamento dos reembolsos da ADSE têm vindo a multiplicar-se desde o início do ano. Na maioria dos casos, os atrasos variam entre os três e os seis meses, avança o Correio da Manhã, este domingo. O instituto que gere o subsistema de saúde dos funcionários públicos reconhece os atrasos e justifica-os com a falta de pessoal.

De acordo com o levantamento feito pelo jornal, desde o início de 2019, foram publicadas no Portal da Queixa mais de 40 reclamações por demora nos reembolsos do regime livre, referindo na maioria atrasos entre três e seis meses. Em causa está o regime no qual os beneficiários pagam inicialmente a totalidade dos encargos, pedindo posteriormente o reembolso à ADSE.

O representante dos beneficiários no Conselho Diretivo da ADSE reconhece alguns atrasos e diz que o tempo de espera é “em média, entre dois meses e dois meses e meio”. Eugénio Rosa justifica a situação com falta de pessoal e salienta: “Não há falta de dinheiro, mas de pessoal. Temos 184 pessoas no quadro. Devíamos ter 265”.

Essa escassez de capacidade humana resulta de situações de aposentação e mobilidade. Contactado, o Ministério da Saúde garante, ainda assim, que “não tem nenhum pedido de autorização de concurso”.

Comentários ({{ total }})

Falta de pessoal provoca atrasos nos reembolsos da ADSE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião