CP avisa que vai cortar oferta sem novas contratações

  • ECO
  • 2 Maio 2019

A CP avançou com uma proposta de recrutamento para 88 trabalhadores, que ainda não foi aprovada pelo Governo. A empresa pública alerta que pode ter de cortar a oferta se não contratar pessoal.

A CP precisa de contratar pessoal, mas está ainda a aguardar a aprovação da proposta de recrutamento pelo Governo. A empresa pública alertou para que, sem a entrada de mais trabalhadores, vai ser necessário cortar a oferta, já que os níveis de serviço não vão ser cumpridos.

O aviso, de que “será inevitável a redução da oferta e, em consequência, o não cumprimento dos níveis de serviço preconizados no contrato de serviço público”, foi feito pelo presidente do conselho de administração da CP, no relatório e contas de 2018, citado pelo Jornal de Negócios (acesso pago).

Atualmente, a empresa pública enfrenta “fortes constrangimentos à sua atividade decorrentes do atraso na concretização de investimentos na infraestrutura ferroviária, da obsolescência e vetustez do parque de material circulante sem a correspondente substituição e da desadequação do quadro de efetivos dos diferentes níveis às necessidades funcionais”, adianta Carlos Gomes Nogueira.

O pedido de contratação da CP é de 88 trabalhadores, espalhados por várias áreas. Da parte do Governo, ainda só 14 foram autorizadas, revelou Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e Habitação, no Parlamento.É preciso convencer o restante Governo que o reforço da CP é prioritário, é uma batalha a travar e corro o risco de ter uma derrota pessoal nesta matéria”; disse o responsável.

No final de 2018 a CP tinha 2.683 trabalhadores vinculados, um valor que representa uma redução de 26 trabalhadores face ao ano anterior, e de 54 em relação a 2016.

Comentários ({{ total }})

CP avisa que vai cortar oferta sem novas contratações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião